Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

11/01/2018 18h31

Imigração japonesa completa 110 anos em 2018

Deputado Luiz Nishimori (PR-PR) é presidente do Grupo Parlamentar Brasil-Japão. Ele diz que a programação das comemorações deste aniversário vai ser extensa.

O brasileiro já tem intimidade com várias expressões da cultura japonesa. Das histórias em quadrinhos conhecidas como "mangás" aos arranjos de flores que usam a arte do ikebana, passando pela habilidade em fazer de pedaços de papel figuras tridimensionais com as técnicas do origami.

Tudo começou em 18 de junho de 1908, quando o navio Kasato-Maru atracou no porto de Santos. Dele desembarcaram as primeiras 165 famílias de japoneses que foram trabalhar nas fazendas de café do interior de São Paulo. De lá para cá, além da agricultura, a parceria entre os dois países é forte em setores como siderurgia e construção naval. O desembarque do primeiro navio no porto de Santos marca oficialmente o início da imigração japonesa - que, em 2018, completa 110 anos.

O deputado Luiz Nishimori, do PR do Paraná, é presidente do Grupo Parlamentar Brasil-Japão. Ele diz que a programação das comemorações deste aniversário vai ser extensa. E destaca um evento: a Expo Imin 110, que acontece de 19 a 22 de julho em Maringá, no interior paranaense. A festa terá mostras de arte, tecnologia e gastronomia.

"Será uma grande oportunidade dos jovens conhecerem ainda mais a cultura japonesa, toda a tecnologia do Japão, e seria o momento de repassar a cultura japonesa, a educação japonesa, à sociedade brasileira também".

Atualmente, há 2 milhões de nipo-brasileiros, com presença maciça em estados como São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul. Desde o final dos anos 1980 começou o movimento inverso: brasileiros descendentes de japoneses foram trabalhar no Japão. Eles são chamados de dekasseguis e já são a terceira maior comunidade de estrangeiros naquele país, totalizando quase duzentas mil pessoas.

Reportagem - Cláudio Ferreira