Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

06/12/2017 19h42

Parlamentares apontam dificuldades para implantação do programa Cidade Amiga do Idoso

A ideia do programa é promover mudanças além da acessibilidade e da mobilidade urbana, atuando em áreas como saúde e moradia

As reflexões do geriatra brasileiro Alexandre Kalache em um congresso acadêmico há 12 anos levaram a Organização Mundial de Saúde a criar o projeto Cidade Amiga do Idoso, também chamado Cidade para Todas as Idades.

A ideia era promover mudanças que iam além da acessibilidade e da mobilidade urbana, respeitando as demandas da população com mais de 60 anos e atuando em áreas como saúde e moradia.

Em 2010, foi criada uma rede global destas cidades - atualmente, são mais de quinhentas em 35 países. Duas comissões da Câmara promoveram um fórum para analisar o projeto da OMS. Os participantes mostraram, principalmente, que os municípios brasileiros ainda precisam trabalhar muito para promover ambientes favoráveis aos idosos.

O prefeito de Cachoeira do Sul, cidade gaúcha de 87 mil habitantes e quase 200 anos de idade, citou uma dificuldade de sua gestão - as árvores antigas comprometem a estrutura das calçadas e são barreiras físicas para a população mais velha. Sérgio Ghignatti se preocupa:

"As raízes das árvores estão provocando aos idosos a possibilidade de insegurança e de fraturas violentas".

O prefeito gaúcho questionou os debatedores sobre uma legislação que resolva o seu problema. Para João Carlos Correa, presidente da Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo, existem leis que facilitam a vida do idoso tanto no ambiente doméstico quanto fora de casa - só que elas não são cumpridas. Ele ressalta que há soluções arquitetônicas a custo baixo para melhorar as cidades brasileiras. E defende, por exemplo, transformar uma vaga para automóveis em uma pequena praça.

"Você tem alternativas extremamente baratas e que você pode criar espaços agradáveis pra qualquer população, não é só pra idoso, seja pra criança, pro estudante que tem que andar da sua casa à sua escola, ele tem um lugar para parar e sentar e isso funciona".

A deputada Leandre, do PV do Paraná, uma das parlamentares que pediu a realização do debate, afirma que a implantação do programa Cidade Amiga do Idoso em todo o País depende de uma mudança de cultura.

"Depois dessa sociedade comprar a ideia, ela estar assim comprometida com o projeto, entendendo que vai fazer bem para todas as pessoas que vivem na cidade, não só as pessoas idosas, ela vai ser o principal agente transformador e de cobrança de tantos governos que passarem pela cidade".

Durante o fórum, a representante do Ministério de Desenvolvimento Social, Silvia Magalhães Costa, apresentou os detalhes da Estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa. É um desdobramento do programa da Organização Mundial de Saúde que tem previsão de lançamento para março de 2018. Também foi citado o projeto de autoria do deputado Ricardo Trípoli, do PSDB de São Paulo, que torna lei o programa Cidade Amiga do Idoso. A proposta está sendo examinada pela Comissão de Seguridade Social e Família.

Reportagem - Cláudio Ferreira