Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

08/04/2017 10h00

Celular (no trânsito) mata!!! (Interprograma)

A mesma rede que salva tantas vidas, também mata, naquilo que lhe parece mais viciante

Um passeio pela sua timeline, ou seja, a sua página do Facebook ou outra rede social, desperta diferentes sensações no seu corpo movidas por sentimentos que emergem à flor da pele, misturando euforia, inveja, tristeza e por aí vai. Mas poucos são tão incômodos como olhar o rosto de uma jovem morta num acidente de automóvel, porque estava teclando ao volante. O assunto é tão sério quanto desconfortante, e as multas parecem ser mais poderosas do que o amor à própria vida nestes casos.

A internet mudou demais o jeito que vivemos e isso parece muito viciante, num certo paradoxo da nova e complexa Sociedade da Informação, como diz Robin Mansell, estudiosa do assunto. Em Londres, na Inglaterra, mais de 2.500 motoristas foram flagrados, em apenas uma semana, por usarem o celular ao volante. E olha que lá, a lei é levada a sério.

Acidentes fatais acontecem porque o motorista acaba de postar uma selfie enquanto dirigia, o que nos torna testemunhas ocultas de momentos macabros. O flagrante gera uma multa pesada para quem comunica, que acaba se trumbicando, num trocadilho com o famoso jargão do maior comunicador brasileiro de todos os tempos, Chacrinha.

A mesma rede que salva tantas vidas, também mata, naquilo que lhe parece mais viciante.

Eu sou a Beth Veloso e este é o Papo de Futuro. Críticas, sugestões, fale com a gente: papodefuturo@camara.leg.br

***Reprodução autorizada mediante citação da fonte***