Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

06/04/2017 10h00

Quem manda na internet e a disputa de poder na rede (Interprograma)

Aqui não tem Davi nem Golias. É briga de gigantes!

Há uma disputa secreta, quase uma guerra de nervos, entre os buscadores de notícias e as redes sociais, ou seja, os Googles e os Facebooks da internet. Esses grandes intermediários da rede têm em comum o fato de atuarem em escalas planetárias, usarem algoritmos para oferecerem para você toda a informação colocada na rede, e, na prática, serem grandes gerentes da notícia gerada por terceiros, e não a fonte.

Em entrevista na TV Folha, Richard Gingras, diretor de notícias do Google, usa a palavra qualidade para dizer que o Google não é dono do que está escrito na rede. Ele apenas indexa as notícias, unindo um fato ao seu contexto. E é isso nem é feito por um julgamento humano, mas com a ajuda de algoritmos e robôs. Afinal, são 75 boletins do Google ao redor do mundo, em 45 idiomas. Ou seja, a internet ideal, para o gerente do Google, tem que ser aberta, para gerar novos produtos, novas audiências, mais qualidade, e o senso crítico do cidadão, e não pode estar sujeita às fronteiras das redes sociais e seus de vetos.

Para o homem das notícias do Google, a internet tem que ser aberta, e que não esteja limitada a uma rede social. E, por aí, partimos para as disputas, em que o Facebook responde, preparando-se para se tornar uma plataforma de vídeo muito mais importante que o Youtube, que, por sua vez, faz parte do império Google.

Aqui não tem Davi nem Golias. É briga de gigantes.

Eu sou a Beth Veloso e este é o Papo de Futuro. Escreva para nós: papodefuturo@camara.leg.br

***Reprodução autorizada mediante citação da fonte***