Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

07/01/2017 08h00

Exibicionismo na internet já! (interprograma)

Postar uma foto sua na formatura do filho é a mesma coisa que colocar um brinco na orelha e sair na rua? Eu acho que sim! De alguma forma, é isso que a tecnologia faz, com a chamada conexão. O desejo de ver e sermos vistos, que move a indústria do capitalismo anos a fio.

Como nós não vestimos burca, o exibicionismo no Facebook nada mais é do que arrumar-se para a missa das 7h, só que esse desfile ganhou outra dimensão, pulou para outra arena. No teatro do social, o terreno onde todos nós atuamos, é, na verdade, onde podemos ser nós mesmos. E, assim, vale postar a refeição, porque esse é o espírito da vida em sociedade: ela só se justifica quando compartilhada, quando exercitamos nossa vocação para o coletivo, como diz Aristóteles.

É claro que a sociedade digital e essas novas tecnologias emparedaram a todos nós na linha da notícia, criando uma espécie de comunicação do ego que deu certo. Mas o ego, o exibicionismo, a conversa em torno do que eu fiz ou onde eu fui ontem esteve sempre ali, na mesma linha do bate papo no bar ou na porta da padaria – e, agora, na versão 2.1 da comunicação global, no sobe e desce do elevador eletrônico das redes sociais na tela do seu celular.

Tudo bem, então, mostrar para todo mundo o que você comeu hoje ou com quem você estará amanhã. A sociedade se transforma, mas nós é que somos sempre os mesmos.

Eu sou a Beth Veloso e este é o Papo de Futuro. Mande suas dúvidas, críticas ou sugestões para papodefuturo@camara.leg.br