Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

25/11/2016 08h00

O neofeminismo digital e o convite à sentar-se à mesa (interprograma)

Olá! Discutir o poder das mulheres é uma nova onda na internet, onde políticas de afirmação de gênero encontram seus nichos. O neodiálogo nos faz pensar que ainda estamos longe da igualdade, quando o olhar é up to down, ou seja, de cima para baixo, o ar feminino ainda é muito rarefeito no topo da pirâmide social. Em que pese sejamos transformadoras no chão de fábrica, e dominantes no ambiente familiar, ainda são pouco eficazes os gritos de “fora machismo” que ecoam nessa sociedade cheia de informação... machista, por sinal.

Exceto por algumas vozes poderosas, como a de Sheryl Sandberg, CEO, ou seja, manda-chuva do Facebook. Ela conta como, aos olhos dos pais, “os filhos são inteligentes como o pai” e “as filhas são bonitas como a mãe”; como a ambição feminina é um palavrão e lamenta que ser líder é ser mandona!

É duro viver numa sociedade de estereótipos, devemos concordar com Shery. E ela convida a nós, mulheres, a deixarmos a culpa de lado, assumirmos o papel cada vez maior de mãe-trabalhadora e, muitas vezes, solteira, e nos sentarmos à mesa!

Sentar-se à mesa é uma metáfora para: assuma o seu poder interior, viva seus múltiplos papéis com equilíbrio, e na escolha entre a mãe amorosa e a profissional competente, escolha os dois!!!

Tem segredo? Tem segredo! Encontrem a carreira certa e subam até o topo, diz a executiva das novas mídias! E o autêntico, a paixão e a alegria serão parte do seu sagrado, do seu feminino, do que você é!

Eu sou a Beth Veloso e este é o Papo de Futuro. Escreva para a gente, você mulher ou você que tem essa sensibilidade: papodefuturo@camara.leg.br