Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

29/08/2016 12h04

Um tour pelos mosteiros da Europa (interprograma)

Todo mundo precisa de um tempo. Tempo para respirar, descansar, repensar. Geralmente, é a isso que se chama de férias! Mas, nem sempre, isso representa sombra e água fresca!

Servir, limpar, arar e capinar acabam sendo a opção de muita gente que busca uma vida monástica. A vantagem: você não paga nada! Seu mérito é ganhar conhecimento, ser feliz por servir aos monges e monjas e buscar um refúgio das preocupações diárias, da insaciedade humana.

Um périplo pelos mosteiros do mundo pode ser uma forma de renascimento, para ficar livre de velhos hábitos, tormentos e traumas. A internet te mostra o caminho. Busque por “mosteiro budista Theravada”.

O budismo te ensina a ficar livre do sofrimento, mesmo que pareça, de início, que sentar-se e meditar por uma hora seja quase uma autopunição. Mas vale muito a pena, e não apenas pelo almoço gratis ou a hospedagem. Na verdade, a vida monástica, em que você se abstém de mentir, tomar o que não é seu, fazer mal às pessoas, bebidas e sexo ilícito é para poucos.

Tendo como premissas o dom da generosidade, da boa vontade com os outros e do desapego às coisas materiais, mais do que um refúgio, é um caminho de libertação do sofrimento.

Eu sou a Beth Veloso e este é o Papo de Futuro. Mande sua mensagem para papodefuturo@camara.leg.br.