Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

23/03/2016 12h23 - Atualizado em 28/03/2016 13h42

TV analógica começa a ser desligada (interprograma)

Nem Rio, nem Sampa. A cidade que brilhou nas telinhas no País foi Rio Verde, cidade goiana escolhida para a experiência piloto na migração definitiva para a TV Digital

Nem Rio de Janeiro, nem São Paulo. A cidade que brilhou nas telinhas no País foi Rio Verde. Teve até caravana de autoridades de Brasília para assistir ao momento histórico de desligamento da TV analógica no interior goiano, cidade escolhida para a experiência piloto na migração definitiva para a TV Digital. A grande pergunta é o que vai mudar, de fato, agora nesse verdadeiro patrimônio cultural que é a televisão brasileira.

Bem, por enquanto, amigos, muda a qualidade. Uma imagem e um som de primeira linha, quase de cinema. E muda, também, o calendário de implantação do sistema, que vem sendo adiado, já que a TV Digital já deveria estar no ar em todo o País neste ano, dez anos depois de iniciadas as discussões.

Para se ter uma ideia do impacto disso, a TV está em 97% dos lares brasileiros, enquanto a internet só em 23%. Essas contas deixam claro que a chegada da TV Digital, 65 anos após o lançamento da TV no Brasil, é algo notável. Mas os desafios ainda são garantir uma interatividade mínima, que deveria estar nos conversores que estão sendo distribuídos pelo governo. Daquele tipo que te permita mais informações sobre o que está no ar. Não mais mudanças podem ser esperadas para este modelo, a questão da renda é a maior barreira para esta evolução, não tá sobrando dinheiro nem para a troca espontânea do seu televisor.

Mas, verdade seja dita, uma TV melhor merece uma programação melhor. Ou, no mínimo, mais variada, como manda a Constituição brasileira.

Eu sou a Beth Veloso e este é o Papo de Futuro. Mande suas dúvidas, críticas ou sugestões para papodefuturo@camara.leg.br