Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

12/01/2016 12h53

Nunca tá contente (interprograma)

O setor de telecomunicações no Brasil faz lembrar uma das histórias infantis mais lindas já conhecidas: a do Nunca tá Contente

Olá! O setor de telecomunicações no Brasil me faz lembrar uma das histórias infantis mais lindas que já conheci: a do Nunca tá Contente. Era um bicho que invejava a todos os outros animais. A área de telecom também parece meio selva. Os consumidores não gostam do serviço, a Anatel aplica multas milionárias, as empresas vão para a Justiça, e esta atua como um guarda de trânsito. É quando tudo engarrafa e ninguém sai do lugar. E o cenário não é dos mais animadores: no ranking internacional, o Brasil lidera entre os países que têm tarifas mais caras e infraestrutura mais precária, especialmente de Internet.

Pesquisa do Comitê Gestor da Internet no Brasil mostrou que 25 milhões de domicílios não tem internet, ou seja, mais da metade dos lares brasileiros ainda vivem um perfeito apagão digital.

Enquanto reguladores – ou seja, a Anatel – e os regulados – as empresas – brigam por multas e investimentos, o brasileiro vai se virando nas lan houses, especialmente os mais pobres, das classes D e E, e os mais isolados, que vivem na área rural. E o governo? O governo vai confiando que a banda larga popular vai resolver o problema. Ou seja, aquele pacote de R$ 30 por 1Mbps oferecido pelas operadoras, que tem irrisórios 3 milhões de assinantes. E o serviço é derrubado quando a franquia é atingida. Ao que tudo indica, esses também não estão muito contentes.

Eu sou a Beth Veloso, e este é o Papo de Futuro, um espaço para os contentes e os descontentes com a tecnologia e as telecomunicações no Brasil. Dúvidas e sugestões, envie para beth.veloso1@gmail.com