Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

14/09/2018 11h21

Especialista avalia poder dos jingles nas campanhas eleitorais

Confira a entrevista do especialista em marketing político e autor do livro “Jingles eleitorais e marketing político - uma dupla do barulho”, Carlos Manhanelli

Certamente, você se lembra de algum jingle de campanha eleitoral. A cada eleição, eles invadem o seu dia a dia, grudam na mente, como chiclete. E você se pega cantarolando versos, mensagens ou o número de um candidato.

Para mergulhar no universo dos jingles, o Painel Eletrônico convidou o especialista em marketing político e autor do livro “Jingles eleitorais e marketing político - uma dupla do barulho”, Carlos Manhanelli.

Na entrevista, ele explicou que o jingle é uma peça publicitária para ressaltar a qualidade de um produto ou combater um conceito, utilizado desde 1929, quando o primeiro jingle foi apresentado na campanha de Getúlio Vargas. Para o especialista, os jingles, até hoje, são eficazes em campanhas eleitorais, embora não tenha o poder de eleger um candidato, mas contribui para fixar as propostas e o número do candidato. Para Carlos Manhanelli, o jingle será sempre uma ferramenta importante pelo seu efeito multiuso, já que pode ser veiculado em qualquer lugar e a qualquer hora. Segundo ele, "não existe melhor efeito de memorização como um jingle de qualidade".

Apresentação - Elisabel Ferriche e Edson Junior