Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

08/11/2017 11h57

Paulo Pimenta (PT-RS) analisa perspectivas do depoimento de Wesley Batista à CPMI da JBS - Bloco 1

Os deputados Paulo Pimenta e Jones Martins (PMDB-RS) falaram sobre o assunto em entrevista ao Com a Palavra. Ouça o áudio completo em dois blocos

A CPMI da JBS e a CPI do BNDES, do Senado, ouvem nesta quarta-feira, em reunião conjunta, o empresário Wesley Batista, um dos acionistas do grupo J&F.

Os colegiados investigativos apuram denúncias nos empréstimos feitos entre o banco estatal e o conglomerado, além das condições em que foi firmado o acordo de delação premiada entre os empresários da companhia e o Ministério Público Federal.

Wesley e o irmão, Joesley Batista, estão presos desde setembro, por terem mentido e omitido informações no acordo de delação premiada firmado com a Procuradoria-Geral da República. O empresário vai depor na condição de convocado.

Para repercutir o assunto, o Com a Palavra entrevistou os deputados Paulo Pimenta, do PT; e Jones Martins, do PMDB; ambos do Rio Grande do Sul. Ouça a íntegra das entrevistas em dois blocos.

Para o deputado Paulo Pimenta, o Ministério Público não teve interesse em investigar a JBS e pagou pela delação. Já o deputado Jones Martins defende que as operações do BNDES devem ser investigadas, mas a instituição deve ser preservada para o interesse público e para o desenvolvimento econômico do país.

Apresentação - Edson Junior e Elisabel Ferriche