Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

07/11/2017 11h34

PEC que prevê o fim das polícias Civil e Militar e cria uma polícia única está na pauta da CCJ

Para repercutir esse novo modelo organizacional das polícias no país, o Com a Palavra entrevistou o relator da proposta, deputado Marcos Rogério (DEM-RO). Ouça a entrevista

A Comissão de Constituição e Justiça poderá votar, nesta terça-feira, a proposta de emenda à Constituição que prevê o fim das polícias Civil e Militar e a criação de uma polícia única dos estados e do Distrito Federal.

A proposta, do deputado Celso Russomano, do PRB paulista, também extingue os Corpos de Bombeiros Militares. Pelo texto, a instituição vai passar a ser totalmente civil.

Para repercutir esse novo modelo organizacional das polícias no país, o Com a Palavra entrevistou o relator da proposta na Comissão de Constituição e Justiça, deputado Marcos Rogério, do Democratas de Rondônia.

Ouça o áudio completo da entrevista.

Apresentação - Edson Junior e Elisabel Ferriche



Comentários

JULIO CEZAR | 20/06/2018 22h01
Eu penso que este projeto só vem a beneficiar a população, assim o ciclo completo de criminalidade será melhor efetivado como tanto quer a PMMG! O prejuízo será na paridade dos ativos e inativos, contudo, falarei como alguns policiais antigos: "Não está gostando, pede baixa!" Parabéns pelo projeto, espere que passe!
José Silva | 20/06/2018 16h42
TOTALMENTE A FAVOR. ESSE MILITARISMO JÁ ESTÁ ULTRAPASSADO NA POLÍCIA MILITAR. SÃO MUITOS CARGOS E POSTOS PARA DESEMPENHAR UM MESMO SERVIÇO. E NO FINAL DAS CONTAS QUEM EXECUTA REALMENTE O SERVIÇO OSTENSIVO NAS RUAS SÃO OS SOLDADOS, CABOS E SARGENTOS. O RESTO SÃO APENAS ADMINISTRADORES DE EMPRESAS QUE GANHAM MUITO MAIS DO QUE OS QUE REALMENTE EXECUTAM O SERVIÇO DE RUA. JÁ PASSOU DA HORA DE MUDAR.PROGRESSÃO ÚNICA NA CARREIRA.
Washington | 16/06/2018 10h42
um dos colegas fala acerca da diferença entre civil e militar, acho que tal lei tenta acabar justamente com isso. Aqui em PE, o SD passa 10 anos para chegar a CB, é só Deus sabe se chega a Sargento até o fim da carreira. PM tem que deixar de se equiparar com PC, cada um na sua, também tem que ter como parâmetro para progressão e não a classe de agente da PC. Com essa PEC todo mundo um dia chega no topo, mas nos dias de hoje o cara entra Sd e se aposenta Cb.