Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

17/10/2017 10h28

Givaldo Vieira comenta avanços e entraves na implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos

O deputado, que é presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano, reconhece a importância da lei, mas afirma que é preciso entender as dificuldades de estados e municípios em cumpri-la

De acordo com o levantamento feito pela Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública (Abrelpe), o Brasil tem, atualmente, quase três mil lixões ou aterros irregulares que impactam a qualidade de vida de 77 milhões de brasileiros.

Para falar sobre o tema, o Com a Palavra convidou o deputado Givaldo Vieira, do PT do Espírito Santo. Ele é presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano, que discute, hoje, entraves e avanços da Política Nacional de Resíduos Sólidos, aprovada em 2010. Um dos pontos da lei é o fim dos lixões em todo país, que deveria acontecer até agosto de 2014. Apesar dessa exigência, o Brasil ainda despeja 30 milhões de toneladas de lixo por ano, de forma inadequada, expondo os cidadãos ao risco de doenças.

O deputado Givaldo Vieira reconhece a importância da lei, mas afirma que é preciso entender as dificuldades de estados e municípios em cumpri-la. O parlamentar justifica o descumprimento pela falta de recursos, de prioridade dos governos e de uma ação coletiva de gestores e sociedade. Givaldo Vieira também critica a tentativa de prorrogar o prazo do fim dos lixões para 2018 e 2021, de acordo com o tamanho da população.

Ouça a entrevista completa.

Apresentação - Edson Junior e Elisabel Ferriche