Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

20/09/2017 07h00

A deputada Erika Kokay fala sobre assunto que causa polêmica

Sentença reabre as portas para tratar a homossexualidade como uma doença

Uma liminar da Justiça Federal do Distrito Federal autoriza psicólogos a fazerem terapias de reversão sexual sem sofrer qualquer tipo de censura por parte do Conselho Federal de Psicologia. Esse tipo de tratamento é proibido por meio de uma resolução editada, pela entidade, em 1999.

Em 2013, a Comissão de Direitos Humanos aprovou o projeto, do deputado João Campos, do PRB de Goiás, que determina o fim dessa proibição. A proposta acabou sendo retirada de tramitação pelo autor, depois de muita polêmica.

Nós já repercutimos a decisão liminar com o deputado Pastor Eurico, do PHS de Pernambuco, que apresentou, no ano passado, outro projeto que também suspende a resolução do Conselho Federal de Psicologia e estabelece normas de atuação para psicólogos em relação à orientação sexual.

Acompanhe e entenda o posicionamento da deputada Erika Kokay no programa que fala sobre o assunto.

Ouça o áudio completo da entrevista.

Apresentação - Elisabel Ferriche e Lincon Macário



Comentários

Maxwell Rosa | 10/07/2018 22h27
Boa noite. Erika Kokay tenho vergonha., de no século 21 ter que ouvir você falar tanta besteira.; defendendo um presidiário.
Herman Miller | 01/04/2018 03h41
Acuse o inimigo do que você é. Diversionismo erístico (Lenin-Gramsci) repetido ad nauseam pela deputada. A homo-normatividade é imposição autoritária impingida a partir da inversão estatística da hetero-NORMALIDADE, reconhecida pela própria deputada, por impossibilidade pragmática de distorcer ainda mais os números da incidência das "orientações" sexuais, expressão mesmo contraditória. Dogmas, fundamentalismos, preconceitos e desnaturalizações, além de sofismas, são a natureza de seu discurso que julga a dor dos que precisam de orientação sexual pelo sentido que Kokay escolhe desonestamente.