21/12/2018 - 10h23

Relações Exteriores aprova Convenção sobre Trabalho Marítimo

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Ordem do dia para votação e discussão de diversos projetos. Dep. Bruna Furlan(PSDB - SP)
Para a deputada Bruna Furlan, a  Convenção constitui verdadeira “carta dos direitos do trabalhador marítimo”

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados aprovou o texto da Convenção sobre Trabalho Marítimo (CTM), aprovado durante a 94ª Conferência Internacional do Trabalho, assinado em Genebra (Suíça), em 2006.

A convenção visa a garantir um trabalho digno para os marítimos, condições seguras para o desenvolvimento econômico da atividade marítima e uma concorrência justa entre os armadores. O texto consolida as normas internacionais sobre trabalho marítimo, reafirmando a necessidade do comprometimento dos Estados que assinaram o documento com os princípios do trabalho decente - igualdade de oportunidades de acesso ao trabalho digno, livre e democrático por homens e mulheres de qualquer nacionalidade.

O texto da convenção consta do Projeto de Decreto Legislativo 1101/18, que teve origem na Mensagem 140/17, do Poder Executivo. O projeto recebeu parecer favorável da relatora, deputada Bruna Furlan (PSDB-SP), que também englobou outra mensagem (MSC 499/18) com a última versão do texto da CTM, após emendas feitas em 2014.

A CTM estabelece os requisitos mínimos para os marinheiros poderem trabalhar nos navios e contém disposições sobre as condições de trabalho, horas de expediente e descanso, alojamento, instalações recreativas, alimentação, cuidados médicos e proteção de segurança social.

“As relações de hierarquia, regras de convivência e direitos da tripulação estiveram por muito tempo amparadas em costumes marítimos e regulamentos nacionais esparsos e precariamente aplicados nas circunstâncias da navegação internacional”, disse Furlan.

Para a relatora, a convenção ajudará a agilizar e facilitar a movimentação de embarcações de bandeira brasileira em portos estrangeiros e garantir a aderência do Brasil e do setor marítimo nacional aos patamares globais da navegação internacional de qualidade.

A Convenção sobre o Trabalho Marítimo é considerada o “quarto pilar” dos regulamentos marítimos mais importantes que abrangem o transporte internacional, junto com a Convenção Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar (SOLAS), a Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios (MARPOL) e a Convenção Internacional sobre Normas de Formação, Certificação e Competência para os Marinheiros (STCW).

Tramitação
À proposta tramita em regime de urgência. Isso significa que ela já está pronta para entrar na pauta do Plenário, onde receberá parecer oral das comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Reportagem - Tiago Miranda
Edição - Marcia Becker

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Sérgio Augusto do Nascimento Santos | 22/01/2019 - 03h41
Será de bom grado também, aprovação das carteiras marítimas de Bahamas,ilhas Marshall e outras valerem no Brasil já que em todos os países que assinaram o acordo a anos atrás aceitam, só no Brasil que só podem trabalhar com a cir, já que é comprido todos os requisitos necessários para exercer a profissão embarcado.