Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

28/09/2018 - 08h44

Projeto cria programa permanente para acompanhar benefícios da Previdência Social

Jefferson Rudy/Agência Senado
Norma Ayub
Norma Ayub: ideia é normatizar a recuperação e preservação do valor real dos benefícios concedidos pelo RGPS

A Câmara analisa o Projeto de Lei 10152/18, da deputada Norma Ayub (DEM-ES), que estabelece um programa permanente de revisão da concessão e da manutenção dos benefícios de Regime Geral de Previdência Social (RGPS). O texto acrescenta o dispositivo na Lei Orgânica da Seguridade Social (Lei 8.212/91).

Segundo Norma Ayub, a ideia é normatizar a recuperação e preservação do valor real dos benefícios concedidos pelo RGPS, mediante revisão e correção do cálculo da renda mensal Inicial observando-se, em especial, a influência de planos econômicos do governo; entendimentos e procedimentos internos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); ou determinações judiciais que tenham contemplado apenas alguns beneficiários.

Segundo a proposta, esse programa permanente de revisão da concessão e da manutenção dos benefícios também se destina a apurar irregularidades e falhas. O texto estabelece que, havendo indício de irregularidade na concessão ou na manutenção de benefício, o INSS notificará o beneficiário para, em 30 dias, apresentar defesa, provas ou documentos.

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Rachel Librelon

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

ccc | 28/09/2018 - 09h49
O problema é que as pessoas afastam do serviço, dor na coluna exemplo, passam a receber do governo, mas não tem dor na coluna para vender carro, fica o ano todo afastado, volta um mês para tirar férias. Não quer ser aposentado por invalidez por receber proporcional. Este é o nosso país. Os gestores públicos não avisam que esta pessoa fica o ano todo afastada, no meu entender é errado, mas um acoberta o outro, o errado vira certo, ético e moral. Deve- se fazer um arrastão e entender a vida dos afastados.