Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

01/12/2017 - 15h03

Comissão aprova piso salarial de vigilantes

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Homenagem à Semana Farroupilha. Dep. Assis Melo (PCdoB - RS)
Para Assis Melo, a proposta valoriza os trabalhadores da área de segurança privada

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou o Projeto de Lei 7042/17, dos deputados Nelson Pellegrino (PT-BA) e Erika Kokay (PT-DF), que fixa piso salarial para vigilantes em três mil reais.

Relator da matéria, o deputado Assis Melo (PCdoB-RS) disse que o projeto valoriza os profissionais da vigilância privada. “O rigoroso controle sobre as empresas de segurança, fiscalizadas pela Polícia Federal, e os requisitos de formação profissional sinalizam que a atividade é essencial e que seus trabalhadores merecem receber um salário condigno”, ressaltou.

Pelo texto, o salário-base da categoria será reajustado anualmente, no início de janeiro, com correção pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

A proposta altera a Lei nº 7.102/83, que trata da segurança de estabelecimentos financeiros, estabelece normas para constituição e funcionamento das empresas particulares que exploram serviços de vigilância e de transporte de valores.

Tramitação
A proposta será analisada de forma conclusiva pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Emanuelle Brasil
Edição – Sandra Crespo

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

MARCO ANTONIO SILVEIRA | 09/12/2017 - 20h35
CAROS COLEGAS VIGILANTES NO DIA 08/12/2017 FOI INDEFERIDO O PL 7042/2017 QUE REAJUSTAVA O SALARIO DOS VIGILANTE PARA 3000,00 NAO DA PARA AGREDITAR
MARCO ANTONIO SILVEIRA | 09/12/2017 - 20h04
INFELIZMENTE DIA 8/12/2017 ENTREI NA PAGINA DA COMISSAO E ESTA LA INDEFERIDO O AUMENTO DOS VIGILANTE PL 7042/17
MARCO SILVEIRA | 08/12/2017 - 19h05
Olá Colegas vigilantes, nesta data de hoje, 08 de dezembro de 2017, foi indeferido o aumento de R$ 3.000,00, novamente não dá para acreditar em Papai Noel e muito menos em políticos.