Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

15/01/2016 - 10h06

Projeto quer incluir agentes de trânsito entre profissões consideradas perigosas

Divulgação
Deputado Décio Lima (PT-SC)
Décio Lima lembra que, em média, 15 agentes de trânsito morrem por ano em virtude da profissão

A Câmara dos Deputados analisa a proposta que inclui a fiscalização de trânsito, operação ou controle de tráfego de veículos terrestres nas atividades consideradas periculosas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Conforme o texto, estes trabalhadores se submetem a situações de constante risco ao se expor em cruzamentos e estações de passageiros, além do risco de morte do agente nas operações de fiscalização, a chamada “blitz”.

A medida está prevista no Projeto de Lei 447/15, do deputado Décio Lima (PT-SC). Segundo o deputado, a categoria contabiliza, em média, 15 mortes por ano. O que, frente ao efetivo nacional, próximo a 25 mil agentes, representa um número proporcional de vítimas superior às ocorrências nas Forças Armadas e na própria Polícia Militar.

“Este risco de morte acompanha os Agentes da Autoridade de Trânsito mesmo após estes retirarem o uniforme que caracteriza a atividade. Fato ilustrado por diversas vezes na mídia, em vários estados da federação, onde o infrator persegue e por vezes mata o fiscal”, lembrou Décio Lima.

Tramitação
O projeto será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem - Clara Sasse
Edição - Mônica Thaty

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Hudson dos Anjos Duarte | 10/11/2017 - 09h51
A exposição que nós nos submetemos é realmente muito perigosa,pois além de mexermos no bolso do cidadão,não sabemos a índole de quem abordamos. Precisamos sim de pessoas como o nobre deputado, que se interesse para melhor a qualidade da profissão. Um abraço e parabéns..
Nathan de Amorim Francisco | 09/05/2017 - 23h23
Nós Agentes de Trânsito sofremos muitas ameaças mesmo com o infrator sabendo que transgredir a lei. Eu mesmo ja fiquei 6 meses afastado por agressão. Sendo incluídos é claro retorna para cada um de nos pelo menos o reconhecimento que além de situar também removemos veículos quebrados,ajudando a fluir o trânsito. Em algumas capitais tbm removemos infratores que estão em estado etílico excessivo. Mas é claro as vezes nossas Leis são muito brandas.
evaristo mariano de souza lopes | 26/10/2016 - 16h47
Este projeto sera bem vindo , visto que nós agente de transito passamos um mal bocado nas ruas e corremos risco a cada segundo, precisamos sim estar aramados, não para fazer maldade e sim para inibir o que vem acontecendo com os agentes de transito em todo territorio nacional. Parabens por alguem se importar com a categoria.