Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

28/07/2011 - 16h34

Profissão de optometrista pode ser regulamentada

Leonardo Prado
Marçal Filho
Marçal Filho: não há conflito entre optometria e oftalmologia.

A Câmara a analisa o Projeto de Lei 369/11, do deputado Marçal Filho (PMDB-MS), que regulamenta a profissão de optometrista. São considerados habilitados ao exercício profissional os portadores de diploma de conclusão de curso superior em Optometria, expedido por escolas reconhecidas pela autoridade competente da educação, ou por escola estrangeira, desde que tenham revalidado e registrado seu diploma no Brasil.

O projeto define como atividades do optometrista:
- examinar e avaliar a função visual, prescrevendo soluções ópticas nos casos de ametropias;
- orientar técnica e esteticamente o usuário de óculos e lentes de contato; e
- adaptar os óculos e as lentes de contato às necessidades do usuário.

Atendimento primário
Os optometristas são os profissionais responsáveis pelo atendimento primário da função visual. Atuam diretamente na prevenção de problemas oculares e na correção de disfunções visuais. Representam a primeira linha de atendimento dos problemas mais comuns da população e fazem a triagem dos casos mais complexos ou graves, remetendo-os aos oftalmologistas.

No Brasil, por exemplo, a Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), no Rio Grande do Sul, oferece formação em Optometria.

O profissional optometrista não utiliza nenhum medicamento ou técnica invasiva ao corpo humano. Todos os equipamentos são de caráter observacional e direcionados à avaliação quantitativa e qualitativa da visão.

Ele é preparado para reconhecer uma alteração visual de ordem patológica ocular ou sistêmica, encaminhando, nestes casos, a um profissional da área médica, realizando assim seu trabalho de prevenção.

Competências
Marçal Filho diz que não têm fundamento as alegações de que a optometria usurpa as competências da medicina oftalmológica. “Se assim fosse, a optometria não seria permitida na imensa maioria dos países. O optometrista trabalha em harmonia com outros profissionais de saúde, sendo um dos elos fundamentais na equipe multidisciplinar e multiprofissional, em benefício da saúde da população”, afirma.

Ele lamenta que a consulta com oftalmologista no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) seja hoje muito difícil. “O SUS e a população brasileira precisam da optometria, que poderia, por exemplo, tornar realidade o atendimento primário qualificado da grande massa de alunos da educação básica, identificando problemas visuais e fazendo a triagem dos casos patológicos que necessitem de atendimento especializado”, propõe.

Marçal Filho cita ainda que a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece o optometrista como o responsável principal pelo atendimento primário da saúde visual.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

* Matéria atualizada em 19/09/2011.

Íntegra da proposta:

Reportagem - Luiz Claudio Pinheiro
Edição - Wilson Silveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

edna | 05/08/2011 - 16h43
quer saber o que é um optometrista? é só precisar de um oftalmogista e ñ ter como pagar uma consulta particular nesta área pois aqui em alagoas que é o lugar onde moro a realidade e dura na capital e muito pior e no sertão vc pode imaginar uma pessoal com um simples presbiopia pensando que por isto ela vai ficar cega e derrepente aparece uma optometrista com seu equipamento é verificar que esta pessoa ñ tem patologia neuma pois na faculdade estudamos todos as patologias e sabemos muito bem encaminha-la se for preciso
Eloisa | 05/08/2011 - 16h26
Eduardo! em que país você vive? só pode ser fora do Brasil, pois aqui não temos oftalmologistas sobrando! Se informe melhor, antes de escrever absurdos. Pois, de acordo com o próprio CBO, há aproximadamente 7.000 especialistas para 180 milhões de brasileiros, sendo que estão concentrados nos grandes centros. Sem falar de que a maioria não atende pelo SUS.
Mario | 05/08/2011 - 16h25
Aqui na minha cidade a optometria é uma realidade! Nos ultimos meses recebi dois pacientes quase cegos por glaucoma que estavam fazendo acompanhamento com optometrista. A cada seis meses eles consultavam e trocavam de oculos para tentar melhorar a visao, o profissional em questao nao foi capaz de suspeitar que havia algo a mais. Como o problema cultural brasileiro é muito grande, mesmo apos muita explicacao e exames, eles nao foram capazes de entender a gravidade do problema e a importancia do tratamento... Triste realidade.