Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

06/03/2018 - 19h56

Câmara devolve R$ 230 milhões à União para ações de combate à violência contra a mulher

Solenidade de transferência de recursos da Câmara para o Ministério Extraordinário da Segurança Pública. Presidente da câmara dep. Rodrigo Maia (DEM-RJ)
Deputadas participaram do ato de devolução dos recursos, repassados para o combate à violência contra a mulher e a repressão às drogas

A Câmara dos Deputados vai devolver R$ 230 milhões ao orçamento da União para que sejam investidos em ações de combate à violência contra a mulher e de combate às drogas coordenadas pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública. A decisão da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados transfere recursos provenientes de reduções de gastos no orçamento da Casa (R$ 200 milhões) e da venda da folha de pagamento de 2018 (R$ 30 milhões).

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que a redução das despesas públicas é uma das demandas da sociedade.

“Os recursos públicos precisam ser tratados de forma diferente por todos os poderes: menos gastos na burocracia e mais na família brasileira”, defendeu o presidente.

O primeiro-secretário da Câmara, deputado Giacobo (PR-PR), afirmou que o Legislativo faz a sua parte e se esforça para devolver os recursos em benefício da sociedade brasileira.

"Acho que hoje é uma tarde que vai ficar para a história do nosso Parlamento. Na história da Câmara dos Deputados, isso nunca havia ocorrido", acrescentou.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, participou do evento e afirmou que os recursos vão contribuir para combater a violência contra as mulheres. Segundo Jungmann, é importante fortalecer programas que visam combater a violência e o feminicídio.

“No Brasil de hoje, a cada 2 horas uma mulher é morta, mais de 70 mil estupros por ano, que são casos subnotificados. Quero dizer que cada centavo, cada real desses R$ 230 (milhões) será utilizado na defesa dessas mulheres e transformar essa cultura da violência", afirmou o ministro.

Gastos públicos
Após o evento, em entrevista coletiva, o presidente da Câmara reafirmou a necessidade de se reorganizar os gastos públicos e defendeu que os recursos sejam gastos de forma a atender as demandas da sociedade. “No Brasil se gasta muito e se gasta mal. Enquanto não se discutir a redução das despesas, o fim da burocracia, enfrentar tanto as corporações públicas quanto os recursos que vão para o setor privado em desonerações, não vai se atender aos interesses da sociedade”, disse.

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier
Edição – Roberto Seabra

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Erasmo Neto | 07/03/2018 - 10h25
Brasil país evoluído,reconhecendo o valor das mulheres na sociedade,até as consideradas prostitutas devolvem um trabalho social muito grande evitando violência sexual cometidas pelos animais considerados homens. Parabéns Presidente Rodrigo por esta ação,posso discordar de outras sem desrespeitar o Sr. como ser humano que, assim como eu comete erros.Minha querida esposa: o quê você pensa,sem nós mulheres vocês não existem.