Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

17/06/2013 - 18h18

Comissão de Segurança aprova porte de arma a colecionadores e atiradores

Tv Câmara
Dep. Edio Lopes (PMDB-RR)
Edio Lopes restringiu o porte de armas aos cidadãos registrados no Exército e com no mínimo 3 anos de prática em competições de tiro esportivo.

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou proposta que assegura o direito a porte de arma de fogo a atiradores e colecionadores desportivos que comprovarem participar assiduamente, por pelo menos 3 anos ininterruptos, de instituições desportivas de tiro. O texto aprovado altera o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03).

O porte de arma autoriza o cidadão a trazer a arma junto de si, transitar com ela. Já a posse dá a ele o direito de manter arma de fogo, bem como seus acessórios ou munição, em sua residência ou em seu local de trabalho.

Atualmente, colecionadores e atiradores podem receber autorização apenas para transportar a arma - a permissão provisória é dada pelo Exército e a arma deve ser transportada desmontada e separada da munição.

Registro no Exército
Relator da matéria, o deputado Edio Lopes (PMDB-RR) explica que, após ouvir os posicionamentos que surgiram durante o debate na comissão, decidiu apresentar um novo parecer recomendando, desta vez, a aprovação do Projeto de Lei 6971/10, do deputado Milton Monti (PR-SP), na forma de um substitutivo.

No texto aprovado, o relator decidiu manter a permissão pretendida pelo projeto, mas restringiu esse tipo de porte aos cidadãos regularmente registrados no Exército Brasileiro e com no mínimo 3 anos ininterruptos de prática assídua em competições de tiro esportivo.

“É importante citar que flexibilizar o Estatuto do Desarmamento neste sentido, implica permitir que possam surgir mais integrantes do CAC”, disse ele, em referência à sigla pela qual são conhecidos caçadores, atiradores e colecionadores de armas de fogo.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Newton Araújo

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

EVERARDO PINTO CAMURÇA | 03/02/2015 - 17h47
Já ouvi falar de CAC cometendo crime sim e já encontrei CAC na cadeia sim, bandido consegue CR sim, basta nunca ter caido. Dizer que um CAC é mais bem preparado que um policial é uma piada ... a função policial não se restringe a acertar um alvo. Não há por que ter porte por que não é diferenciado de qualquer cidadão comum que transporta algo de valor e se que segurança contrate uma particular.
Marcelo | 30/08/2014 - 21h43
Nunca ouvi falar de um CAC cometer algum crime, nunca irão encontrar um CAC na cadeia pois bandido não consegue o CR, tecnicamente dizendo um CAC é muito mais preparado que qualquer policial pois treina constantemente e vive se atualizando, nada mais justo o porte para o CAC com 3 anos de prática desportiva.
Everaldo silva marques | 21/08/2014 - 15h09
E um absurdo sou atirador ha 6 anos premiado varias vezes e tenho que transportar meu acervo sem nem uma arma municiada.com tanto vagabundo por ai.. Tenho que contar com a sorte.