29/11/2018 - 11h53

Criada Frente Parlamentar em Defesa da Nova Política de Saúde Mental

Movimento é apoiado por entidades representativas do setor hospitalar

Deputados e senadores, apoiados por entidades representativas da sociedade civil ligadas à área da saúde, lançaram ontem a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Nova Política Nacional de Saúde Mental e da Assistência Hospitalar Psiquiátrica. O novo grupo reúne 203 deputados e 4 senadores.

O presidente da frente, deputado Roberto de Lucena (Podemos-SP), defendeu a nova política de saúde mental implementada pelo Ministério da Saúde, desde o início deste ano, como “um instrumento de fortalecimento da assistência psicossocial prestada no SUS [Sistema Único de Saúde]”.

Ele destacou que, entre os objetivos da nova frente parlamentar, está a promoção de amplos debates, diálogos e conscientização sobre os direitos e a proteção das pessoas acometidas de transtorno mental.

O vice-presidente da frente, deputado Ricardo Barros (PP-PR), afirmou que a saúde mental será a necessidade de maior demanda da sociedade brasileira nos próximos anos. Barros, que foi ministro da Saúde no governo Temer, explicou que o fortalecimento das ações para composição de uma rede psicossocial ampla, com a integração de ambulatórios e leitos hospitalares psiquiátricos, é fruto de um debate entre estados, municípios e Ministério da Saúde.

De acordo com o coordenador de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas do Ministério da Saúde, Quirino Cordeiro, os resultados colhidos pela política de saúde mental anterior são inaceitáveis, com aumento das taxas de suicídio, de pacientes com transtornos graves vivendo em condição de rua e de dependentes químicos, sobretudo por uso do crack, com a expansão das crackolândias.

Da Redação – ND

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'