Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

12/07/2017 - 19h56

Especialistas pedem campanhas de incentivo à alimentação saudável de crianças e adolescentes

Especialistas defenderam a realização de campanhas e a implementação de políticas públicas para que os brasileiros se alimentem de forma correta desde a infância e, em consequência, haja redução dos índices de obesidade infantojuvenil. O assunto foi debatido nesta quarta-feira (12), em audiência pública na Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados.

A coordenadora-geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Michele Lessa, afirmou que a obesidade é um problema de saúde que vem aumentando rapidamente e precisa ser enfrentado. "Um terço das crianças de 5 a 9 anos hoje tem excesso de peso, 32,5% das crianças menores de dois anos consomem bebidas adoçadas cinco ou mais vezes por semana, ou seja, um consumo regular", afirmou.

Hábitos saudáveis
O presidente da Frente Parlamentar Mista do Combate e Prevenção da Obesidade Infantojuvenil, deputado Evandro Roman (PSD-PR), afirmou que o problema começa na infância e, por isso, os pais e as escolas precisam trabalhar em conjunto para introduzir nas crianças hábitos saudáveis de alimentação.

"Muitas vezes, os pais transferem para a escola a responsabilidade deste tipo de educação. A vida contemporânea do homem e da mulher é sair cedo de casa, entre 6h30 e 7 horas, e retornar às 21 horas. A criança vai meio período para a escola e, quando chega em casa, está com fome e quer matar a fome seja lá com o que for que estiver na geladeira", disse o deputado.

Evandro Roman destacou que a frente parlamentar vai implementar ações relacionadas à alimentação, contra o sedentarismo e pela qualidade do sono.

O debate desta quarta-feira foi proposto pelos deputados Evandro Roman, Fábio Mitidieri (PSD-SE) e Mário Negromonte Jr. (PP-BA).

Reportagem – Karla Alessandra
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'