Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

24/05/2017 - 12h54

Para debatedores, prevenção é melhor forma de evitar o suicídio

Audiência na Comissão de Segurança Pública foi motivada pela proliferação, nas redes sociais, de grupos de jovens com o tema “Baleia Azul”

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Audiência Pública e Reunião Ordinária. Dep. Givaldo Carimbão (PHS - AL)
Givaldo Carimbão, um dos autores do pedido de audiência

A prevenção é a melhor forma de evitar o suicídio entre jovens, na avaliação dos participantes de debate realizado na terça-feira (23) pela Comissão de Segurança Pública da Câmara.

A discussão foi motivada pela proliferação, nas redes sociais, de grupos de jovens com o tema “Baleia Azul”, associado a supostos incentivos a situações de risco entre adolescentes.

Na Câmara, já houve uma audiência e um seminário sobre o mesmo assunto. Pelo menos nove projetos tratam da prevenção ao suicídio incentivado por meio da internet.

Mais orientação
Marcelo Tavares, professor do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília, disse que a Organização Mundial de Saúde apoia o debate sobre suicídio, destacando ainda que o foco da prevenção deve estar no desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais.

“Se uma pessoa quiser desenvolver, em qualquer área de conteúdo, precisa de equilíbrio emocional”, disse. Para o professor, é essencial saber “como se relacionar, como lidar com problemas auto-estima e como lidar com a raiva, a frustração, a perda, a humilhação”.

O advogado criminalista Luiz Augusto Filizzola D'Urso alertou para a existência de vários grupos na internet que fazem apologia ou induzem ao suicídio. Ele sugeriu a criação de mais delegacias especializadas em crimes cibernéticos e mudanças na legislação para proteger as crianças.

D'Urso sugeriu que crianças e adolescentes sejam orientadas sobre os perigos de se expor nas redes sociais, como postar fotos da família e do seu cotidiano. “Desconfiança permanente ao interagir com desconhecidos pela internet” e “ensinar que não sabemos quem está do outro lado do computador” foram os conselhos do advogado.

Melhor caminho
O deputado Givaldo Carimbão (PHS-AL), um dos autores do pedido de audiência, afirmou que, após ouvir os expositores, chegou à conclusão de que é necessário trabalhar na prevenção. “Entendendo que é o melhor caminho, e não a repressão.”

No debate, entre as sugestões apresentadas estão transformar em homicídio a incitação de menores de 12 anos ao suicídio; elevar as penas para quem utiliza a internet como meio de atingir grande número de pessoas; e políticas públicas para apoio aos jovens.

Da Redação - RM
Com informações da Rádio Câmara

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'