01/01/2019 - 17h43

Povo começa a se libertar do socialismo, diz Bolsonaro após receber a faixa presidencial

Marcelo Camargo/Agência Brasil
bolsonaro no Parlatório depois de receber a faixa presidencial
Do parlatório, Bolsonaro cumprimenta o público que foi à Praça dos Três Poderes, depois de receber a faixa presidencial

Ao se dirigir à população pela primeira vez no Palácio do Planalto, depois de receber a faixa presidencial de Michel Temer, o presidente Jair Bolsonaro disse que montou um governo “sem conchavos” políticos, pediu apoio para superar a crise econômica e disse que vai eliminar políticas partidárias e ideológicas.

“Me coloco diante de toda a nação neste dia como o dia em que o povo começou a se libertar do socialismo, se libertar da inversão de valores, do gigantismo estatal e do politicamente correto. A voz das ruas e das urnas foi muito clara”, disse. "Estou aqui para me comprometer com esse desejo de mudança. Se trabalharmos juntos, essa mudança será possível", acrescentou.

Ele disse que, entre os desafios de seu governo, está impedir que “ideologias nefastas tomem conta do País”. “Convido a todos para iniciarmos um movimento juntos para restabelecer padrões éticos e morais. A corrupção, os privilégios, e as vantagens precisam acabar; os favores partidarizados precisam ficar no passado”, disse.

Bolsonaro destacou que há muitos desafios para superar a crise econômica, mas que vai trabalhar por um governo eficiente. “Temos o grande desafio de enfrentar os efeitos da crise econômica, vamos propor e implementar as reformas necessárias para ampliar a infraestrutura, desburocratizar, simplificar e tirar o viés ideológico das nossas relações internacionais”, disse.

Afirmou ainda que vai “acabar com a ideologia que defende bandidos e criminaliza policiais” e prometeu investir na educação básica, "que transforma o presente e faz o futuro dos nossos filhos". Acrescentou: "Precisamos nos espelhar em nações que pela educação encontraram caminho da felicidade”, disse.

Bolsonaro foi saudado diversas vezes pelo público, aos gritos de “mito”, e encerrou o seu discurso com o lema de campanha: Brasil acima de tudo, Deus acima de todos.

Reportagem - Carol Siqueira
Edição - Wilson Silveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Situação | 03/01/2019 - 11h57
Esqueceram do esquema de poder do PT de criar divisão de nós x eles? - O PT é muito melhor na oposição.
Socialismo democrático | 02/01/2019 - 09h40
Gleisi, diz que Bolsonaro tem que inventar que o Brasil é socialista, para criar um "inimigo". Disso sabem bem, pois inventaram uma direita da esquerda (PSDB) para se manterem no jogo. 'Lula mesmo, antes de passar por um banho de loja por Duda Mendonça, debatia com Collor em 1989 propondo um “socialismo democrático”.'