Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

29/05/2018 - 20h21

Rodrigo Maia diz que momento atual revela necessidade de discutir corte de gastos

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou nesta terça-feira (29) que o momento atual é de discutir corte de despesas. "A PEC do Teto [dos Gastos Públicos] sinalizava para isso, e essa sinalização tem que passar a ser mais efetiva. Nós precisamos discutir despesas, corte de despesas. Há muitos feudos no setor público e no setor privado que consomem o orçamento público, de forma desproporcional em relação à base da sociedade", afirmou.

Segundo ele, os entes da Federação precisam de recursos para enfrentar a crise econômica. "Essa é a principal demanda da sociedade: que o Estado brasileiro como um todo – municípios, estados e governo federal – possa de fato ter recursos disponíveis para enfrentar uma crise econômica como essa e estimular investimentos públicos e privados para o Brasil gerar empregos", disse Maia.

Carga tributária
Rodrigo Maia voltou a comentar as críticas que havia feito pela manhã ao ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. O ministro afirmou que seria necessário aumentar impostos para compensar a redução de PIS/Cofins para o óleo diesel. O ministro depois recuou nas suas afirmações e disse que foi mal interpretado.

"Guardia é um grande quadro técnico. Quando ele estava para ser escolhido [ministro da Fazenda], defendi muito o nome dele, é um nome muito preparado”, afirmou Maia. “Acho que ele tomou a decisão certa [ao descartar o aumento de tributos]. De manhã, eu fiz uma crítica mais dura porque, no momento atual, você falar em aumento de impostos podia esquentar novamente um clima que já está um pouco mais calmo. A decisão dele [de não aumentar a carga tributária] é uma decisão correta, até porque o Parlamento teria dificuldade de atingir qualquer votação para criar qualquer tipo de imposto. Acho que está no caminho certo", afirmou Maia.

Ouça esta matéria na Rádio Câmara

Nota oficial
Nesta terça-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia; o presidente do Senado, Eunício Oliveira; e o presidente da República, Michel Temer, divulgaram uma nota conjunta conclamando os caminhoneiros a voltarem ao trabalho e normalizarem o abastecimento no País. Eles consideraram "importante ainda evitar que, tendo alcançado seus objetivos, esse movimento venha a ser usado com objetivos políticos".

Na avaliação do presidente da Câmara, de ontem para hoje melhorou a crise de abastecimento de combustíveis, alimentos e outros gêneros devido à greve dos caminhoneiros.

Reportagem – Newton Araújo
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

ANTONIO CARLOS BENICIO | 30/05/2018 - 13h28
O Estado brasileiro é perdulário, possui péssima gestão e a sua administração pública é um poço sem fundo no exaurimento dos recursos colocados a sua disposição. Possui excesso de servidores, baixa produtividade e se considera um feudo e os demais cidadãos seus vassalos. Já passou em muito da hora de ser mais eficiente e célere no trato da coisa pública.
Laura Renosto | 30/05/2018 - 13h22
Precisamos de políticos sérios! CHEGA de tanta roubalheira e privilégios. Estamos cansados de carregar este fardo e de trabalhar sem esperanças. Somos carentes de saúde. Estamos a mercê da violência e entregues a ignorância que vcs tão bem utilizam como benefício. PENSEM de onde vieram e como chegaram aonde estão. O povo não tem consciência do poder que tem e vcs políticos se aproveitam disso. Exigimos RESPEITO!
Neide Zabandzala | 30/05/2018 - 09h22
Já passou da hora de cortarem na própria carne, as regalias, os privilégios. Chega de sempre a população pagar a conta.