Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

22/12/2017 - 11h09

Câmara suspende prerrogativas e diretos inerentes ao mandato de Maluf e Jacob

A Presidência da Câmara dos Deputados suspendeu as prerrogativas e os direitos inerentes aos mandatos dos deputados Paulo Maluf (PP-SP) e Celso Jacob (PMDB-RJ). A medida ainda está sendo formalizada, e deverá ser publicada na próxima terça-feira (26), retroativa ao dia 21. No mesmo ato, os funcionários dos gabinetes foram exonerados. Maluf está preso desde a última quarta-feira (20); e Jacob, desde junho.

Até novembro, Jacob cumpria a pena em regime semiaberto – que permite o trabalho fora da cadeia durante o dia – e comparecia às sessões na Câmara. No entanto, perdeu o benefício ao ser flagrado tentando entrar no presídio com alimentos. Ele havia sido condenado em 2006 por falsificação de documento público e dispensa irregular de licitação quando era prefeito de Três Rios (RJ).

Maluf foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em maio deste ano. Nesta terça-feira (19) o ministro Luiz Edson Fachin determinou o início "imediato" o cumprimento da pena de 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão, além da perda do mandato.

Da Redação – RL

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Erasmo Neto | 27/12/2017 - 08h06
A presidência da câmara,entendeu a mensagem:reforma na base.Regime democrático exige a co-responsabilidade.O povo segundo as leis,não pode suspender as prerrogativas dos deputados eleitos.Todo e qualquer organização incluindo o crime organizado só pode ser destruída por decisão interna,pois decisões externas podem ser interpretadas como ataque.Cautela deputados segundo teles jornais, a presidência da república esta usando,o dinheiro do Estado para comprar votos no congresso.Pior isentando impostos de empresas internacionais que colaboram muito para poluir o planeta.Ditadura; base no dinheiro?