Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

19/12/2017 - 20h57

Deputados comemoram aprovação de novas universidades federais

Com a aprovação de quatro novas universidades federais nesta terça-feira (19), o Plenário da Câmara dos Deputados retomou a expansão das universidades públicas brasileiras, o que foi comemorado pelos parlamentares.

O deputado Danilo Forte (DEM-CE) disse que a aprovação dos projetos marca o compromisso do Ministério da Educação com a educação superior e com a interiorização das ações das universidades. Ele ressaltou o trabalho do ministro da Educação, Mendonça Filho, que é deputado licenciado por seu partido.

Já a deputada Erika Kokay (PT-DF) lembrou que as propostas eram do governo Dilma Rousseff, de seu partido.

Para o deputado Daniel Vilela (PMDB-GO), que relatou um dos projetos e negociou a votação de hoje, não importa a disputa política, mas a criação de zonas de desenvolvimento em seu estado. “Nessa era em que vivemos, do conhecimento, não tem nada mais importante para nosso estado que a criação desses dois polos de tecnologia, de conhecimento e de desenvolvimento, tanto para Jataí quanto para Catalão”, disse.

O deputado Júlio Cesar (PSD-PI), que conseguiu incluir a criação da Universidade do Delta do Parnaíba, também comemorou o resultado da votação. “Não é apenas o interesse do Piauí, mas do Maranhão e do Ceará, que estão perto de Parnaíba. Toda a região deve se beneficiar”, declarou.

Desenvolvimento regional
Pelo Mato Grosso, o deputado Valtenir Pereira (PSB-MT) comemorou o desmembramento do campus de Rondonópolis, ressaltando que são mais de 22 cursos, 4 de mestrado, 5 mil alunos, além dos cursos de extensão que atendem a região. “Grande projeto para o estado de Mato Grosso, e um passo para dar importância ao conhecimento produzido na região”, afirmou.

O deputado Rubens Otoni (PT-GO) disse que a proposta expressa o compromisso de seu partido com a luta pela educação pública de qualidade. “Esses campi já estão maduros, mais de 10 mil alunos e mais de 30 cursos, em Jataí e Catalão. Fortalecer o trabalho desenvolvido pela universidade federal do nosso estado, porque esse desmembramento cria as condições necessárias para melhor atendimento da nossa comunidade universitária”, disse.

O deputado Edmilson Rodrigues (Psol-PA) lembrou que, apesar de pagamentos da dívida na ordem de R$ 1 trilhão, apenas R$ 105 bilhões serão aplicados em educação no Brasil neste ano. “Temos de comemorar a expansão, permitindo um tempo de implantação. Nós vamos sair dessa crise, não importa o governo, e devemos fortalecer essas universidades”, declarou.

O deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) disse que seu partido concordaria com as novas universidades apenas sem a criação de novos cargos, que não constavam das propostas, exceto no caso do Delta do Parnaíba. “O Brasil é a oitava economia do mundo e não tem nenhuma universidade entre as 200 melhores do mundo. Ou o País faz uma reforma universitária, ou continuaremos tendo universidades muito caras e com poucos resultados”, disse.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Marcello Larcher
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'