Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

05/12/2017 - 23h46

Aprovado arquivamento de processos contra o deputado Wladimir Costa

Will Shutter/Câmara dos Deputados
Reunião Ordinária
Reunião do Conselho de Ética para votar processos contra Wladimir Costa

O Conselho de Ética da Câmara aprovou o arquivamento de dois processos contra o deputado Wladimir Costa (SD-PA) nesta terça-feira (5).

O primeiro a ser votado (Representação 18/17) refere-se à postagem de imagem da filha da deputada Maria do Rosário (PT-RS) em grupo de WhatsApp da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

O parecer preliminar do relator, deputado João Marcelo Souza (PMDB-MA), que propôs o arquivamento do processo, foi aprovado por 9 votos favoráveis e 4 votos contrários. Souza argumentou em seu parecer que não foi possível confirmar a autoria da postagem uma vez que Costa apresentou documentação comprovando que o telefone responsável pela mensagem não era de sua propriedade.

O relator, entretanto, repudiou a conduta e fez um apelo para que as autoridades descubram a autoria do delito. "Embora sejamos forçados a recomendar o arquivamento, temos que deixar registrada nossa opinião de que a conduta descrita na peça inicial configura não só delito contra a deputada Maria do Rosário, mas pode ser enquadrada como crime de divulgação de imagem obscena de adolescente, devendo ser feita rigorosa investigação pelas autoridades penais para descobrir o autor desse ilícito", defendeu.

O deputado Leo de Brito (PT-AC) lamentou a votação. “Todo mundo viu que as postagens foram feitas pelo deputado Wladimir Costa”, informou Brito que também participa do grupo de Whatsapp.

O segundo processo votado (Representação 17/17) é sobre o caso em que o deputado Wladimir Costa teria respondido à repórter Basília Rodrigues, da Rádio CBN, de forma inadequada acerca de sua tatuagem. O parecer preliminar do relator, deputado Laerte Bessa (PR-DF), propondo o arquivamento da representação foi aprovado por 8 votos favoráveis e 5 votos contrários. Bessa modificou o parecer apresentado no dia 7 de novembro, no qual recomendava o prosseguimento do processo.

Influência
Leo de Brito questionou a mudança no parecer e acusou o governo de influenciar a decisão. “Como Wladimir Costa é uma espécie de queridinho do Palácio do Planalto e tivemos intensa movimentação da base do governo na votação aqui no Conselho, qual foi a interferência do governo federal para transformar essas votações numa verdadeira pizza? ”, indagou.

Defesa
Wladimir Costa comemorou o arquivamento dos processos e acusou a oposição de atuação constante contra ele. “A oposição não aceita que o time do Michel Temer, onde eu me incluo, esteja mudando a cara do país, então buscam banalizações com denúncias sem fundamento e amparo jurídico”, criticou. Costa elogiou ainda a transparência do Conselho de Ética.

Íntegra da proposta:

Da Redação - GM

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'