Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

08/11/2017 - 12h41

Para Maia, data para votação da reforma da Previdência só deve ser definida quando houver os votos necessários

O presidente da Câmara sugeriu que, em primeiro lugar, sejam construídas as condições para aprovar a reforma da Previdência. “Que texto é possível ser aprovado? Vamos discutir, e quando isso tiver organizado, vamos ao Plenário”, disse. “Se a gente tiver voto, ótimo”

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Presidente da câmara dep. Rodrigo Maia (DEM-RJ) concede entrevista
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, durante entrevista

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou nesta quarta-feira (8) que o calendário para a votação da reforma da Previdência (PEC 287/06) será definido apenas quando o governo tiver condições de aprová-la – são necessários 308 votos em Plenário, em dois turnos. Ele disse ainda que o governo não vai deixar de votar a proposta.

Saiba mais sobre a tramitação de PECs

Rodrigo Maia participou de reunião hoje no Palácio do Planalto com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles; com o secretário da Previdência, Marcelo Caetano; e com os deputados Arthur Maia (PPS-BA), relator da proposta, e Carlos Marun (PMDB-MS), um dos vice-líderes do governo e presidente da comissão especial que analisou o texto enviado pelo Executivo.

O presidente da Câmara sugeriu que, em primeiro lugar, sejam construídas as condições para aprovar a reforma da Previdência. “Que texto é possível ser aprovado? Vamos discutir, e quando isso tiver organizado, vamos ao Plenário com o texto que é possível”, disse. “Se a gente tiver voto, ótimo.”

Maia também comentou declarações de Meirelles, que espera a aprovação da proposta ainda neste ano. “Quando um ministro da área econômica fala do tempo para votar, fala só do ponto de vista da importância para as contas públicas. Ele [Meirelles] nunca foi parlamentar para entender que a Câmara é uma casa do diálogo, e é com diálogo que vamos conseguir escolher uma data para votar a reforma da Previdência, com os votos necessários para aprovar”, afirmou.

Íntegra da proposta:

Reportagem - Luiz Gustavo Xavier
Edição - Ralph Machado

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Ronan Oliveira Silva | 24/11/2017 - 10h13
Não compreendo, porque a regra de contribuição não é mais benéfica do que a regra da idade mínima para a Previdência. Ora, não seria mais salutar que se incentivasse as pessoas a começarem a trabalhar desde de cedo, a contribuir desde cedo, para que pudesse usufruir da aposentadoria mais cedo. Comecei a trabalhar aos 13 anos de idade, tenho 35 anos de contribuição, estou me sentindo penalizado em relação aos que contribuirão mais tarde e diga-se, de passagem, com alíquota sobre um salário mínimo, pois a reforma trabalhista vai permitir essa manobra, sem falar no incentivo ao trabalho informal
reginaldo oliveira cruvinel | 09/11/2017 - 17h03
nao endendo uma reforma tão importante para o pais , onde nao foi discutido com o população sobre os pontos principais da reforma , onde nós vemos nos meios de imprensa que nao defit , senhores politicos ano que vem ano politico e nos bresileiros estamos de olho nas vossas ações , e é hora do voto que vamos separar o joio do trigo , peço á Deus que ilumine vossas mentes para o bem e que essa corropição que assola o pais pesse e que temamos tempos melhores
Adir Valéria Bandeira Saab Vitta | 09/11/2017 - 12h35
Presidente Rodrigo Maia,Vossa Excelência precisa fazer Michel Temer,Henrique Meirelles,Eliseu Padilha e os demais da equipe compreenderem que uma lei não se faz assim, principalmente uma PEC, que vem a ser uma mudança na Constituição Federal, atingindo a vida de milhões de brasileiros. Afinal, estamos numa democracia e numa ditadura. É preciso diálogo e tempo hábil para construir uma mudança que seja justa a todos. Enquanto isto, pedimos uma Reforma Tributária.Estamos todos acompanhando. Obrigada.Cordiais saudações.