Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

01/08/2017 - 19h17

Presidente da Câmara defende manutenção da meta fiscal para 2017

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, voltou a defender nesta terça-feira (1º) a manutenção da meta fiscal de deficit primário de R$ 139 bilhões, prevista no Orçamento da União deste ano. Segundo Maia, se a cada ano o País alterar a meta, o governo não discute os gastos, considerado por ele o principal problema econômico brasileiro.

“Toda vez que aumenta a meta, a gente flexibiliza os gastos. Temos que discutir o tamanho do Estado, não dá para um País continuar um, dois, três anos com deficit. Quem paga a conta são os cidadãos”, afirmou. “É preciso enfrentar os gastos que hoje não podem ser modificados, o Brasil precisa entender isso.”

Pauta econômica
Pela manhã, Maia participou de reunião com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o secretário da Receita, Jorge Rachid, para debater uma pauta econômica para o Congresso neste segundo semestre. Um dos temas debatidos foi o adiamento da discussão da Medida Provisória 783/17, que institui um novo programa de regularização tributária.

O presidente da Câmara explicou que, apesar do acordo feito entre o governo e os parlamentares, alguns deputados alegam que determinados termos não foram incluídos na proposta e por isso preferem deixar o tema para a próxima semana. Maia defendeu a votação do acordo feito entre o Planalto e os deputados.

“A Câmara é uma casa de acordo, se existiu um acordo entre o presidente, os líderes, o relator e o ministro da Fazenda, esse acordo precisa ser honrado. Agora, se nem tudo está na proposta, até terça-feira que vem temos tempo, pois essa MP só vence em setembro”, disse.

Saiba tramitação sobre de MPs

Íntegra da proposta:

Reportagem - Luiz Gustavo Xavier
Edição - Ralph Machado

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'