Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

11/07/2017 - 15h17

CCJ pode votar parecer sobre denúncia contra Temer até sexta-feira

Hoje pela manhã nove deputados do PMDB, incluindo o líder do partido, apresentaram um parecer alternativo ao do deputado Sergio Zveiter, recomendando que a Câmara não autorize o prosseguimento, no Supremo Tribunal Federal, da denúncia contra o presidente da República

Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados
Reunião Ordinária
Proposta é votar parecer na CCJ até sexta e, no mesmo dia, no Plenário

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), disse que espera ser possível votar a denúncia contra o presidente da República, Michel Temer, até a sexta-feira, mas ele negou que o governo tenha pedido pressa à comissão.

“Esse é o nosso desejo na comissão, de termos finalizado esse trabalho, e sexta-feira poder submetê-lo ao Plenário. Nem a base do governo, nem o presidente Rodrigo Maia me pediram para acelerar o processo”, disse.

Hoje alguns deputados da base governistas questionaram o acordo que permitiria a fala de todos os 122 integrantes da comissão e mais 40 deputados não membros, o que poderia levar a 40 horas de discussão caso todos falem. Mas Pacheco disse que vai trabalhar para que o acordo seja cumprido.

“O acordo foi celebrado, e confio tanto na base quanto na oposição, de que vamos cumprir as decisões que tomamos na semana passada. Considero muito difícil falar a um deputado que ele não pode falar num processo tão importante como esse”, disse.

Mais cedo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) defendeu que seja definido um horário máximo para a discussão e para que o relatório seja votado. “O acordo permite uma coisa que não é razoável. Não queremos acelerar a discussão, mas gostaríamos de ter um dia e hora marcados para votar”, disse.

O líder do governo no Congresso, deputado André Moura (PSC-SE), adiantou que trabalha para tentar votar o processo na CCJ até quinta-feira, e levar o assunto a Plenário já na sexta-feira, uma vez que segunda-feira seria o último dia de trabalho antes do recesso parlamentar de duas semanas. “Votamos na CCJ até a quinta e, se for do entendimento do presidente Rodrigo Maia, poderíamos votar na sexta, aproveitando que todos os deputados já estariam aqui”, disse.

Relatório
Marun e alguns outros deputados do PMDB também cobraram uma posição do próprio partido sobre o relatório do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), que foi favorável à autorização do prosseguimento da denúncia contra Temer no Supremo Tribunal Federal. “Não sei se é o caso de o deputado sair do partido, porque defendeu uma punição mesmo sem provas”, disse Marun.

Zveiter disse que está focado em seu relatório e não se preocupa com essa questão. “Nenhum deputado, ou um grupo partidário vai isolar outro deputado, cada um de nós tem um voto”, disse.

Hoje pela manhã nove deputados do PMDB, incluindo o líder do partido, deputado Baleia Rossi (SP), apresentaram um parecer alternativo ao de Zveiter, recomendando que a Câmara não autorize o prosseguimento da denúncia.

Ao todo já há quatro votos alternativos, dois favoráveis e dois contrários à denúncia. Caso o relatório de Zveiter seja rejeitado, um desses pareceres pode ser utilizado como relatório final. O presidente da CCJ prevê que esse relatório vencedor seja lido e votado imediatamente. “É um procedimento comum na comissão, e o deputado que for designado pode tanto adotar um desses votos ou proferir um até mesmo de forma oral”, disse Pacheco.

Reportagem - Marcello Larcher
Edição - Roberto Seabra

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Erasmo Neto | 13/07/2017 - 07h55
Na purificação é possível observar eleitos condenados discursando para impedir a autorização para STF investigar o Presidente.Ditado:Me diga com quem andas e te direi quem você é.Nas leis brasileiras o receptador ou comprador de produtos oriundos de roubo podem ser condenados pela justiça,compra esta dentro do conceito de comercio e pode incluir o modelo de escambo. Deputados cautela,estamos no séc.XXI informações na velocidade da luz e condições de gravar.Pensem o que os seus netos vão ler no futuro.Haja vista que a arvore genealógica é muito impostante.Futuros condenados sem praticar crime?
Erasmo Neto | 12/07/2017 - 09h14
Brasil concebido,gerado e em construção com base na Doutrina Cristã.Segundo a Bíblia Jesus Cristo ensinava a todos e em todos os lugares da mesma forma,sem distinção de castas.Ensinava no Templo,nas estradas e nos montes.Mas, o egoismo é reconstruído nas primeiras universidades que só muda as palavras para quebrar as ligações mentais conhecidas.Ex: na mitologia grega,um dos pilares de Hércules,mas o egoismo rebatiza como sendo estreito de Gibraltar.Brasil incio da nova civilização planetária?Iniciada pelas propostas do Brasil enviadas a ONU para combater as corrupções Privadas e Estatais?
Erasmo Neto | 12/07/2017 - 08h34
No processo de purificação as contaminações aparecem. Inclusive as ameaças de expulsão do partido.Micro ditadura?Se não respeitam os próprios integrantes do partido vão respeitar nós do povo?"Enquanto alguns reclamam a caravana passa".O correto é com base no ditado popular árabe e não brasileiro:Enquanto os cachorros latem a caravana passa.O atual presidente da Republica coloca quem reclama na igualdade do animal classificado como cachorro?Para quem sabe ler um pingo é letra e nós brasileiros somos capacitados para discernir,apesar de muitos acharem que somos analfabetos.