Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

17/05/2017 - 16h07

Conselho de Ética instaura três processos por quebra de decoro

Colegiado avaliará a conduta de Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) e Delegado Éder Mauro (PSD-PA) com relação a Jean Wyllys (Psol-RJ)

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados instaurou nesta quarta-feira (17) três processos por quebra de decoro: dois contra o deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) e um em desfavor do deputado Delegado Éder Mauro (PSD-PA).

Lúcio Bernardo Junior/Câmara dos Deputados
Reunião Ordinária. Dep. Elmar Nascimento (DEM - BA)
O presidente do Conselho de Ética, Elmar Nascimento, pretende designar até terça-feira o relator de cada caso 

O presidente do conselho, deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), afirmou que escolherá os relatores de cada processo até a próxima terça-feira (23). Hoje houve o sorteio de três membros do conselho para cada processo, entre aqueles que não são do mesmo partido dos representantes ou dos representados, nem dos mesmos estados.

As duas representações contra Eduardo Bolsonaro foram apresentadas pelo PT. Em uma delas, o partido alega que Bolsonaro teria cuspido nas costas do deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) na sessão em que foi julgada a admissibilidade do impeachment de Dilma Rousseff, em 17 de abril de 2016.

O relator desse processo será escolhido entre os deputados Pompeo de Mattos (PDT-RS), Ronaldo Lessa (PDT-AL) e João Marcelo Souza (PMDB-MA).

Na outra representação, Eduardo Bolsonaro é apontado como responsável pela edição fraudulenta de vídeo, depois publicado na internet, que teria o objetivo de prejudicar Jean Wyllys.

A relatoria ficará com um dos três deputados sorteados: Cacá Leão (PP-BA), João Marcelo Souza (PMDB-MA) ou Cabuçu Borges (PMDB-AP).

Éder Mauro
O terceiro processo instaurado é baseado em uma representação da Mesa Diretora fundamentada em processo da Corregedoria da Câmara contra do deputado Delegado Éder Mauro.

Éder Mauro teria publicado, em sua página do Facebook, vídeo editado com parte de pronunciamento de Jean Wyllys durante reunião da CPI que apura a violência contra jovens negros e pobres no Brasil, descontextualizando a fala do parlamentar do Psol.

O relator será escolhido entre os deputados Ronaldo Martins (PRB-CE), Cacá Leão (PP-BA) e Carlos Marun (PMDB-MS).

Reportagem – Tiago Miranda
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

André de Jesus Sarmanho dos Santos Freire | 17/05/2017 - 18h08
Gostaria de saber se a Câmara vai ser palco de um programa televisivo semelhante ao "Big Brother"Pois no link que está estampado na própria página dessa notícia, se lê que o Conselho de Ética arquivou o processo contra o Deputado Jean Wyllys por quebra de decoro por ter cuspido no Bolsonaro.Isso se tornou uma brincadeira?Com tantas mudanças legislativas de importância nacional tramitando na Casa, ainda há Deputados que pretendem se ocupar de picuinhas e bate bocas entre Deputados.Deputados, pensem, vamos levar a sério o cumprimento de vossos mandatos.Isso é pra tirar a atenção do povo? Será?