Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

09/11/2016 - 16h26

Comissão especial aprova reserva de vagas para mulheres no Legislativo

De acordo com a proposta, cota será inicialmente de 10%, com aumento gradativo em três legislaturas. Texto seguirá para análise do Plenário da Câmara

Foi aprovada nesta quarta-feira (8), em comissão especial, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 134/15, que reserva percentual mínimo de representação para mulheres no Poder Legislativo.

A relatora, deputada Soraya Santos (PMDB-RJ), defendeu a aprovação da matéria. Ela destacou que o Brasil ficou na 117ª colocação no ranking da ONU que elenca os países conforme o grau participação feminina nos parlamentos. “É uma posição vergonhosa”, ressaltou.

Cleia Viana / Câmara dos Deputados
Reunião extraordinária para continuação da discussão e votação do parecer oferecido pelo Relator, dep. Laerte Bessa (PR-DF). Dep. Soraya Santos (PMDB-RJ)
Soraya Santos: Brasil ocupa a "vergonhosa" 117ª posição no ranking dos países com maior participação feminina nos parlamentos

Soraya Santos espera que a PEC consiga ajudar a reverter esse quadro. “A gente observa pelos resultados eleitorais a ineficácia de leis que já tratam desse assunto no País”, disse.

Aumento gradativo
Apresentada pela Comissão da Reforma Política do Senado, a proposta estabelece que a cota mínima para mulheres valerá por três legislaturas. O percentual aumentará de forma gradativa: 10% das cadeiras na primeira legislatura; 12% na segunda; e 16% na terceira.

Conforme a PEC, a regra será acrescentada ao Ato das Disposições Constitucionais Transitórias (ADCT) e aplicada para vagas na Câmara dos Deputados, nas assembleias legislativas, na Câmara Legislativa do Distrito Federal e nas câmaras municipais.

No parecer aprovado, Soraya Santos fez apenas emendas de redação ao texto original, como substituir a palavra “gênero” por “sexo”.

Tramitação
A PEC ainda precisa ser votada pelo Plenário da Câmara, em dois turnos. “A luta continua. Queremos pautar a proposta no Plenário o mais rápido possível”, destacou a deputada Carmen Zanotto (PPS-SC), presidente da comissão especial que trata do tema.

Saiba mais sobre a tramitação de PECs

Íntegra da proposta:

Reportagem – Clara Sasse
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

JOSE ALVES DE A FILHO | 10/11/2016 - 16h46
Excelentíssimas Senhoras Deputadas, nada mais detestável que uma medida dessa. E vejam só: defendo ardorosamente a presença maciça de mulheres em funções relevantes, pelo dedicação, zelo e obstinação em solucionar os problemas que se lhes apresentam. Porém, o caminho para a representatividade proporcional de mulheres nos poderes não é este (reserva, cota). Pode até ser o mais fácil mas não o desejável. Unam-se às que já ocupam cargos no Legislativo, Judiciário, Executivo, e promovam uma conscientização, em nível nacional, do empoderamento feminino. O número de eleitorAs é superior ao de eleito