Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

07/06/2016 - 08h46 Atualizado em 07/06/2016 - 16h33

Com pauta liberada, Plenário pode votar propostas de parlamentares

A pauta de votações da semana será discutida em reunião do Colégio de Líderes, às 17 horas. A reunião será realizada no gabinete da presidência da Câmara.

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Sessão extraordinária para discussão e votação de  projetos
Deputados também podem votar PEC 1/15, do deputado Vanderlei Macris, que aumenta o piso de recursos federais direcionados à saúde pública

Após a liberação da pauta que estava trancada por medidas provisórias, o Plenário poderá votar projetos pendentes de autoria dos parlamentares, como o Projeto de Lei 2020/07, da deputada Elcione Barbalho (PMDB-PA), que regulamenta as medidas de segurança e fiscalização das casas noturnas.

A Câmara precisa analisar emendas do Senado ao texto, aprovado em abril de 2014. O projeto surgiu a partir dos trabalhos da comissão externa que acompanhou a investigação do incêndio na boate Kiss (Santa Maria-RS), em janeiro de 2013, no qual morreram cerca de 240 pessoas.

A principal mudança proposta pelo Senado prevê que os engenheiros e arquitetos, o Corpo de Bombeiros Militar, o poder público municipal, os proprietários de estabelecimentos e edificações e os promotores de eventos terão de observar as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) onde não houver regulamentação por parte dos órgãos competentes.

Entre outras medidas, o projeto cria penas de detenção de seis meses a dois anos para quem permitir o ingresso de pessoas em número maior que a lotação especificada e para quem descumprir determinações quanto à prevenção e ao combate a incêndio e desastres.

Recursos para a saúde
Entre as propostas de emenda à Constituição, estará em pauta a PEC 1/15, do deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), que aumenta o piso de recursos federais direcionados à saúde pública anualmente.

O texto que precisa ser votado em segundo turno é um substitutivo da comissão especial, de autoria da deputada Carmen Zanotto (PPS-SC). Ele aumenta o investimento mínimo obrigatório do governo em saúde nos próximos seis anos até atingir, a partir do último ano, 19,4% de sua receita corrente líquida em ações e serviços públicos de saúde.

Atualmente, a Emenda Constitucional 86 define os gastos mínimos da União com saúde em 13,2% da receita corrente líquida para 2016, subindo até 15% em 2020.

Eleição na OAB
Entre os projetos que dependem de aprovação de regime de urgência para votação está o PL 804/07, do deputado Lincoln Portela (PRB-MG), que muda o Estatuto da Advocacia e da Ordem os Advogados do Brasil (OAB) para prever a eleição direta e o voto secreto para a escolha da diretoria do Conselho Federal da entidade com a participação de todos os advogados inscritos.

Reajustes
O único projeto sobre reajustes do funcionalismo público que ficou pendente é o PL 7922/14, da Defensoria Pública da União, que estrutura carreiras do órgão, formadas pelos cargos de analista, de nível superior, e técnico, de nível intermediário. O texto também cria 1659 cargos de analista e 1092 de técnico.

Íntegra da proposta:

Reportagem - Eduardo Piovesan
Edição - Regina Céli Assumpção

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

kassandra monteiro | 15/06/2016 - 14h30
Senhores. Somos milhares de aprovados no último concurso 2015 e a DPU não tem quadro próprio em 20 anos de existência. Queremos inclusão. Queremos ser parte do quadro conforme determina a CF. Queremos que seja criada a carreira de servidores. Não vejo como atender as demandas da sociedade sem mão de obra qualificada. A DPU vai trabalhar para sempre com mão de obra cedida ou de redistribuição? Qual o propósito do concurso então? Pelo PL7922/14 com a inclusão do aprovados!Finalmente os necessitados do Brasil terão uma instituição estruturada!
Ednardo Helal | 14/06/2016 - 21h06
Senhores deputados, peço que votem o PL 7922/2014. O projeto está em pauta há um bom tempo e a Mesa declarou semana passada que esse projeto seria o primeiro da pauta. Votem pela estruturação da carreira e retirem o artigo que incorpora os requisitados ao órgão, pois constitui uma transposição, a qual é vedada pela Constituição Federal e considerada INCONSTITUCIONAL.
Alana Pinheiro | 14/06/2016 - 21h04
Pela aprovação do Pl 7922/2004 Urgente!!