Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

02/06/2016 - 00h33 Atualizado em 02/06/2016 - 00h46

Câmara aprova projeto de reajuste para Forças Armadas

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, na madrugada desta quinta-feira (2), o Projeto de Lei 4255/15, do Poder Executivo, que aumenta a remuneração dos militares das Forças Armadas em até 25,5% até 2019, em quatro parcelas. A matéria será enviada ao Senado.

De acordo com o texto, o soldo do almirante de esquadra da Marinha, do general de Exército e do tenente-brigadeiro da Aeronáutica, os maiores salários das Forças, será de R$ 10.830,00 em agosto de 2016 e de R$ 13.471,00 em janeiro de 2019. Já o soldado-recruta receberá o menor salário: R$ 642,00 em 2016 e R$ 956,00 em 2019.

Em média, o reajuste será efetivado nos percentuais de 5,5% em 2016; 6,59% em 2017; 6,72% em 2018 e 6,28% em 2019. Ao final, a elevação estimada das despesas com o pessoal militar alcançará o montante de R$ 14 bilhões em 2019.

Outras parcelas
Além do soldo, os militares de carreira recebem outros adicionais e gratificações, como o adicional militar (vinculado ao nível hierárquico), o adicional de habilitação (por cursos realizados), o adicional de compensação orgânica (para compensação de desgaste resultante de atividades especiais), a gratificação de localidade especial (se servir em regiões inóspitas) e a gratificação de representação (por postos de comando ou viagem de representação).

Com isso, dependendo da patente, a remuneração total pode chegar a ser mais que o dobro do soldo.



Comentários

fernando | 22/07/2016 - 18h07
Se a mãe é a pátria então estamos sem mãe, sem reajuste adequado para equilibrar e sem a quem recorrer- volta a isonomia com o poder do Ministro do Supremo.
OLDAIR GARCIA MACHADO | 05/07/2016 - 15h16
O que precisa ser aprovado é a PEC 245/08, onde fixa os salários dos Militares aos salários dos Ministros do STM. Hoje, o que assistimos é o eterno revanchismo para com os militares, classe essa que não tem direito a greve e não possui representatividade política e por isso são massacrados, principalmente pela esquerda. Aí eu pergunto, o que os militares de hoje têm haver com a guerrinha particular da era do "Regime Militar"? Iremos pagar o pato a vida toda? Perdas salariais se acumulam desde a era FHC, este último foi um dos piores. Por que reajuste só para o Judiciário, por quê será?
Roberto | 03/06/2016 - 21h58
O dobro? Matéria sem noção!!! A comunicação tem poder! Dê informações corretas e não chutes!!!
Prezado Roberto, agradecemos seu contato e interesse. Informamos ao senhor que sua mensagem foi recebida e encaminhada aos editores do Câmara Notícias. Estamos sempre à disposição e agradecemos, novamente, o seu contato. Coordenação de Participação Popular Secretaria de Comunicação Social - Câmara dos Deputados
Resposta enviada pela Câmara dos Deputados