Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

10/03/2015 - 22h38 Atualizado em 11/03/2015 - 23h21

Reajuste para aposentados é polêmica em política de valorização do salário mínimo

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira a política de valorização do salário mínimo, mas adiou para esta quinta-feira (12) a discussão do ponto mais polêmico: as emendas que pretendem estender para aposentadorias e pensões a política de reajustes. O governo é contra e vai tentar chegar a um acordo sobre o tema, mas parte dos parlamentares defendeu de antemão o aumento para aposentados e pensionistas.

Nilson Bastian/Câmara dos Deputados
Líder do Governo na Câmara, dep. José Guimarães (PT-SP) concede entrevista
José Guimarães pediu o adiamento da decisão sobre os aposentados.

Um dos vice-líderes do governo, o deputado Carlos Zarattini (PT-SP) disse que aprovar a política permanente para o reajuste do salário mínimo com a inclusão dos aposentados é uma medida "demagógica" por conta do forte impacto na política econômica. "Vai iludir aposentados, que vão achar que isso será resolvido hoje", afirmou. Segundo ele, esse tipo de proposta precisa de um debate mais amplo para prosperar.

A líder do PCdoB, deputada Jandira Feghali (RJ), explicou que a preocupação é aprovar um projeto que possa ser sancionado. "Todos defendemos a necessidade de reajustes justos para salário mínimo e Previdência, mas há preocupação de se votar algo que não seja vetado", disse.

O líder do governo, deputado José Guimarães (PT-CE), foi pragmático ao tratar do tema. “Cada dia com sua agonia”, disse. Ele propôs o acordo para ser votado apenas o aumento do salário mínimo e adiada a decisão sobre os aposentados.

Guimarães lembrou que, em 2011, quando a presidente Dilma Rousseff encaminhou o projeto de uma política anual de revisão do salário, a oposição fez “um carnaval” e hoje aprova a proposta por unanimidade.

Gustavo Lima/Câmara dos Deputados
Discussão do projeto de lei da política permanente de reajuste do salário mínimo (PL 3771/12 e apensados). Dep. Jorge Boeira (PP-SC)
Jorge Boeira defendeu a aplicação do reajuste para as aposentadorias.

Aposentados
O apelo governista, no entanto, ainda não convenceu os parlamentares. O líder do PDT, deputado André Figueiredo (CE), defendeu o reajuste para aposentadorias e pensões. "O governo diz que é um absurdo com a Previdência, mas, com o crescimento do PIB próximo do zero, o impacto nas contas é mínimo", disse.

André Figueiredo é relator de uma proposta sobre o tema que acabou rejeitada em Plenário em decorrência do acordo proposto pelo governo.

O deputado Moroni Torgan (DEM-CE) também defendeu o reajuste para as aposentadorias. “O governo sempre fala em rombo na Previdência, mas parece que o rombo quem fez foram os aposentados”, comentou.

O deputado Jorge Boeira (PP-SC), autor de um dos projetos sobre o tema, também é favorável ao reajuste para os aposentados. "A Previdência não é um regime de solidariedade, então nada mais justo que eles tenham direito de receber sobre o crescimento econômico", disse.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Alb | 10/06/2015 - 11h39
É por isso que cada dia esse pt perde sua credibilidade, esse pt está pelo o avesso, antes era pelosos trabalhadores hoje está pelas as suas própria vontade de não fazer o que é justo e certo para o país.
José de Moura | 14/03/2015 - 22h00
dificilmente volto a votar no pt eles não pensa nos aposentados e isso vale para o psdb também
Francisco de Sousa | 12/03/2015 - 20h49
Quando o governo quer faz MP nas caladas da noite, quando não, encontra todas as desculpas esfarrapadas para mentir para os aposentados. Não instituir uma política para os aposentados que ganham acima do mínimo, é não cumprir a CONSTITUIÇÃO FEDERAL BRASILEIRA! Acordem senhores deputados.