Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

  • Acessível em Libras
  • Retorne o texto ao tamanho normal
  • Aumente o tamanho do texto
Você está aqui: Página Inicial > Comunicação > Câmara Notícias > Política > Presidente da Câmara vai avaliar com líderes esforço concentrado de setembro
06/08/2014 - 20h43

Presidente da Câmara vai avaliar com líderes esforço concentrado de setembro

Antonio Augusto / Câmara dos Deputados
Votação da Medida Provisória 647/14, que aumenta os percentuais de biodiesel e etanol misturados, respectivamente, ao óleo diesel e à gasolina vendidos nos postos de combustível do País. Presidente da Câmara, dep. Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN)
Alves destacou o trabalho do Plenário nesta semana, com a aprovação da MP do biodiesel.

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, afirmou nesta quarta-feira (6) que vai tentar convencer os líderes partidários a não desistirem do esforço concentrado do mês de setembro, negociado entre ele e os líderes em julho.

Henrique Alves disse que vai aguardar para saber se haverá clima e quórum para as votações da Medida Provisória 648/14, que flexibiliza o horário de transmissão da Voz do Brasil, e do Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 1491/14, que susta o decreto do Executivo que criou a Política Nacional de Participação Popular.

“Não adianta ter matérias polêmicas, que vão gerar discussões, e se não houver um consenso dentro desta Casa, não conseguiremos aprovar em setembro. Então, vamos aguardar o passar do mês de agosto. Se não for em setembro, será em outubro a retomada para valer dos trabalhos”, disse Alves.

O presidente ressaltou a importância das aprovações do mês de agosto, como a MP 647/14, que aumenta o percentual de biodiesel no óleo diesel, e o Projeto de Lei 2201/11, do Ministério Público da União (MPU), que cria a gratificação por exercício cumulativo de ofícios dos membros do MPU. Houve ainda votações nas comissões permanentes da Casa.

Tradicionalmente, a Câmara dos Deputados e o Senado realizam duas semanas de esforço concentrado em ano de eleições gerais, uma em agosto e outra em setembro. Entraves políticos podem, porém, impedir as sessões de votação. Em 2010, por exemplo, ano em que houve eleições gerais, a Câmara só conseguiu realizar o esforço concentrado no mês de agosto. Em 2006, houve votações nos dois meses.

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier
Edição – Janary Júnior

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Antonio oliveira chaves | 18/08/2014 - 15h17
com este a camará não andou os trabalhos só tapeação,Este tipo de políticos o povo não deve votar,
Antonio oliveira chaves | 18/08/2014 - 15h08
Este foi o presidente da camará que menos trabalho,Como tem gente que vota neste Homem.
Eluir Schamne | 15/08/2014 - 11h13
E a PEC 555/2006 que acaba com sangria dos velhinhos aposentados todos mês, vai ou não vai entrar na pauta de julgamento?
  • Câmara Notícias
    Expediente
    Disque-Câmara: 0800 619 619

Mapa do Portal