Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

  • Retorne o texto ao tamanho normal
  • Aumente o tamanho do texto

Navegação Global

Você está aqui: Página Inicial > Comunicação > Câmara Notícias > Não informado > Deputados vão a Honduras verificar situação de brasileiros
29/09/2009 - 11h38

Deputados vão a Honduras verificar situação de brasileiros


"Situação em Honduras está muito complicada", alerta Temer.

A comissão externa da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional viaja amanhã para Tegucigalpa. Os parlamentares saem de Brasília às 8 horas em avião da Força Aérea Brasileira, fazem escala em El Salvador e chegam à capital de Honduras no início da noite em avião de carreira.

O presidente da Câmara, Michel Temer, no entanto, ainda pretende conversar com os deputados. Em sua avaliação, a situação em Honduras está muito complicada. "Não sei se vale a pena nossos deputados irem para lá", avaliou.

Se seu navegador não puder executar o vídeo,<a href="#texto">veja a descrição textual do conteúdo do vídeo desta matéria</a>.<br/>Se preferir,<a href="http://imagem.camara.gov.br/internet/midias/TV/2009/agencia/set/sonora_temer 2.mp3">obtenha o vídeo</a>e salve-o em seu computador.
Temer recomenda que os parlamentares busquem a conciliação.

Temer reconhece que Zelaya tem direito de procurar a embaixada, mas ressaltou que a embaixada brasileira não pode servir para pregação política.

Missão diplomática
O presidente da Comissão de Relações Exteriores, deputado Severiano Alves (PDT-BA), e o coordenador da comissão externa, deputado Raul Jungmann (PPS-PE), explicaram que o objetivo da viagem é verificar as condições da embaixada e da comunidade brasileira em Honduras. Segundo Jungmann, não haverá nenhum contato com o governo hondurenho, apenas com o parlamento e a embaixada.

"É uma missão diplomática", reforça o deputado Ivan Valente (PSol-SP). "Houve agressão à embaixada brasileira por duas vezes. Isso não aconteceu nem na ditadura do Pinochet na América Latina", compara.

O governo de Honduras cortou água, luz e telefone e impôs um cerco militar contra a embaixada brasileira, onde está abrigado o presidente Manuel Zelaya, deposto por um golpe militar no último dia 28 de junho. Em frente à embaixada, já houve conflitos entre militantes contrários e favoráveis a Zelaya.

Comitiva
Jungmann ressaltou que as despesas com a viagem serão todas pagas com recursos dos próprios deputados, sem a utilização das verbas indenizatórias porque despesas dessa natureza não são ressarcíveis.

Além de Jungmann, compõem a comitiva os deputados: Marcondes Gadelha (PSB-PB), Ivan Valente, Cláudio Cajado (DEM-BA), Maurício Rands (PT-PE) e Bruno Araújo (PSDB-PE).

Os parlamentares brasileiros retornam a Brasília na sexta-feira (2) de manhã.

Almoço
Sobre o almoço dos integrantes da comissão com o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, marcado para esta terça-feira, o deputado Severiano Alves disse que o encontro já estava agendado há algum tempo e que a crise em Honduras não será o foco da reunião.

Notícias relacionadas:
Plenário aprova moção de repúdio ao atual governo de Honduras
Parlamento do Mercosul condena golpe em Honduras
Presidente deposto de Honduras recebe solidariedade na Câmara
Câmara aprova duas moções contra o golpe em Honduras

Reportagem - Rodrigo Bittar e Silvia Mugnatto
Edição - Natalia Doederlein


(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura `Agência Câmara`)

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br


A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



  • Câmara Notícias
    Expediente
    Disque-Câmara: 0800 619 619

Mapa do Portal