20/03/2018 - 17h03

Governo deve editar MP para beneficiar proprietários de áreas rurais irrigadas, diz ministro

O ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, anunciou durante o Fórum Mundial da Água, em Brasília, nesta terça-feira (20), que o governo vai editar uma medida provisória para beneficiar os proprietários de áreas rurais irrigadas. Eles poderiam oferecer sua propriedade como garantia para novos projetos.

Ao discutir o combate à crise hídrica no país, Barbalho ressaltou a importância de três fatores: investimento em saneamento básico, que melhoraria a vida de quase 45% da população; cooperação entre os estados; e a revitalização do rio São Francisco, para sustentar a transposição das águas que deve ser completada este ano. Ele explicou os próximos passos da revitalização.

“O presidente já assinou a reversão das multas do Ibama para custear o programa Novo Chico. E estamos no aguardo da aprovação do projeto de lei da privatização da Eletrobras (PL 9463/18) que está no Congresso Nacional, já que boa parte desta receita estará vinculada também para a revitalização do São Francisco.”

Hélder Barbalho disse que 917 municípios brasileiros sofrem hoje com problemas relacionados ao abastecimento hídrico, embora o Brasil tenha 11% da água doce do planeta.

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Café da manhã de abertura dos trabalhos para o ano de 2018. Dep. Ricardo Tripoli (PSDB - SP)
O deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP) defende o uso racional da água

Bem valioso
O deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), que acompanhou a discussão, reafirma que a água será um bem valioso dentro de pouco tempo.

“Não podemos ficar num processo em que você utiliza água como se fosse um bem infinito. Água pode acabar a qualquer momento. Eu tenho certeza que o balizamento das questões financeiras no futuro não será em função do ouro ou do petróleo, mas da água.”

Perdas
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, estimou a perda física média de água no Brasil em 35%. Essa seria a perda gerada por vazamentos e outros desperdícios dos sistemas. Ele defendeu o fim da tributação sobre o saneamento básico como forma de aumentar os investimentos no setor de maneira direta.

Um exemplo da cooperação entre governos – também defendida por ele – foi a cooperação entre o estado de São Paulo e o governo federal na transposição do rio São Francisco. O governador lembrou que o estado emprestou bombas utilizadas para retirar água do sistema Cantareira durante a seca de 2014 para que fosse acelerada a inauguração da primeira etapa da transposição.

Reportagem – Sílvia Mugnatto
Edição – Ana Chalub

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'