Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

10/10/2018 - 15h57

Ministro da Educação pede que deputados destinem recursos para ônibus e computadores

A Frente Parlamentar Mista da Educação e a Comissão de Educação da Câmara receberam nesta quarta-feira (10) o ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, para debater emendas parlamentares para o setor.

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Reunião ordinária
Cartilha elaborada pelo Ministério da Educação orienta deputados a priorizarem ações rápidas e de grande alcance

As emendas são recursos do Orçamento que deputados e senadores podem destinar a despesas específicas, como obras em escolas e hospitais e construção de pontes, por exemplo.

O ministro entregou aos parlamentares uma cartilha que traz orientações sobre Orçamento e pediu que os parlamentares priorizassem algumas ações.

"Ações rápidas e que tenham um bom alcance, como ônibus escolar, computadores, ar condicionado, coisas que são do interesse de toda bancada de cada Estado e que fazem diferença na escola", salientou.

Rossieli Soares da Silva também pediu apoio dos parlamentares para encontrar uma solução para obras, em creches e escolas dos ensinos fundamental e médio, paralisadas por causa de indícios de irregularidades detectados pelo Tribunal de Contas da União.

"Isso tem levado a um grande problema: municípios muito pequenos e pobres com prefeitos que não têm culpa pelas gestões anteriores e que não vão conseguir concluir sozinhos as obras. A gente está punindo a população duas vezes: porque o recurso não chegou onde deveria e porque aquela obra, se continuar assim, nunca será concluída."

Ouça esta matéria na Rádio Câmara

O deputado Alex Canziani (PTB-PR), presidente da Frente da Educação, concordou com a necessidade de discutir uma solução para o problema. " Já foi investido dinheiro público sem atender a sociedade. As obras estão se perdendo."

Em seguida à reunião com o ministro, a Comissão de Educação cancelou reunião deliberativa prevista para escolher as emendas da comissão ao Orçamento. O motivo foi a baixa presença de deputados. Nova reunião foi convocada para a quarta-feira da próxima semana (17).

Reportagem – Paula Bittar
Edição – Ana Chalub

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Roseli Gameleira de Santana | 11/10/2018 - 00h06
Destinem também para um salário digno para professores, pois pagamos do nosso bolso as cópias de atividades que damos para nossos alunos, tinta, impressora, não temos um convênio para tratar da nossa saúde, e ainda temos que ver o dinheiro de Fundeb sumindo, dinheiro esse que é por direito nosso receber a sobra, mas nunca sobra. Estamos cansados de ver a roubalheira nesse país, vamos ficar de olho