Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

13/09/2017 - 18h18

Câmara homenageia o escritor Guimarães Rosa em sessão solene

O escritor mineiro João Guimarães Rosa foi homenageado nesta quarta-feira (13) pela Câmara dos Deputados, em sessão solene, em razão da proximidade do aniversário de 50 anos da morte dele. Natural de Cordisburgo (MG), ele morreu em 19 de novembro de 1967, aos 59 anos.

JOAO GUIMARAES ROSA 04
Guimarães Rosa é autor de obras como "Sagarana" e "Grande Sertão: Veredas"

A homenagem foi solicitada pelos deputados Patrus Ananias (PT-MG) e Subtenente Gonzaga (PDT-MG). Ananias citou o livro “Grande Sertão: Veredas” para lembrar o escritor. “Quem sabe, neste momento difícil de desafios e incertezas do País, a obra de Guimarães Rosa possa ajudar a descobrir novos caminhos?”, indagou.

Ele acrescentou que a publicação possui reflexões políticas, sociais e filosóficas. “É uma obra oceânica, universal e inesgotável. É um livro fundamental para o processo de conhecimento da formação e dos desafios do Brasil”, completou.

Carreira militar
Subtenente Gonzaga ressaltou que o homenageado também teve carreira como médico pela Polícia Militar de Minas Gerais. “Guimarães Rosa foi médico, diplomata e embaixador. Contudo, o que poucos sabem foi que ele também teve uma passagem como capitão médico, por concurso, em 1930, pela Força Pública do Estado de Minas Gerais”, informou.

O presidente da Academia Familiar de Letras João Guimarães Rosa e primo do homenageado, Evandro Guimarães Rosa, disse que o escritor foi “um mágico das palavras”. “Com ele, o linguajar dos nossos sertanejos ganhou o mundo. Além disso, os conteúdos de suas obras eram enormes e, até hoje, quanto mais se estuda, mais sentidos são descobertos”, afirmou.

Autor inclassificável
Em mensagem enviada aos presentes à sessão, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ressaltou a relevância de Guimarães Rosa na literatura brasileira. “É um autor inclassificável. Seus textos impactam o leitor tanto pela revolução da linguagem quanto pela apresentação de um País autêntico e real”, destacou.

Maia lembrou que Guimarães Rosa conseguiu atingir o grande público, em 1946, com o livro de contos “Sagarana” e que, em 1956, “Grande Sertão: Veredas” representou a consagração internacional do autor.

Reportagem – Alex Akira
Edição – Marcelo Oliveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'