Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

06/03/2018 - 21h58

Imposto único é melhor caminho para desenvolvimento e fim da sonegação, diz coordenador de frente

Frente Parlamentar Mista em Defesa do Imposto Único Federal foi lançada nesta terça-feira

Foi lançada nesta terça-feira (6) a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Imposto Único Federal. O coordenador da frente, deputado Luciano Bivar (PSL-PE), destacou que o imposto único é o melhor caminho para que os empresários possam desenvolver suas atividades e para que o país possa crescer sem sonegação. 

Alex Ferreira/Câmara dos Deputados
Lançamento da Frente Parlamentar do Imposto Federal Único
Frente lançada nesta quarta vai trabalhar pelo imposto único federal

"O Brasil gasta 2.038 horas das empresas brasileiras só para trabalhar em função dos impostos. Enquanto nos Estados Unidos, as empresas gastam 167 horas. Esse ganho que o empresário tem com relação à simplificação tributária, isso vai ser um ganho para toda a nação. Vai diminuir seu custo, vai diminuir o custo Brasil em benefício de quem? Da classe trabalhadora. Então esse imposto único é fundamental para a gente soerguer o país desse problema que hoje nós temos na economia", argumentou.

Luciano Bivar explicou que num primeiro momento o imposto único substituiria uma série de impostos federais e depois também impostos estaduais e municipais.

Para o ex-deputado federal Marcos Cintra, substituir tributos sobre os salários, consumo e renda das empresas por apenas um, com alíquota de 2,04% cobrado sobre a movimentação financeira, seria um ganho para os trabalhadores, os consumidores e as empresas sem que o governo perca receita. Segundo Cintra, o Brasil já demonstrou capacidade de realizar essa cobrança única de forma eficiente durante os 12 anos de vigência da CPMF.

Reportagem - Karla Alessandra
Edição - Geórgia Moraes

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Fernando C. B. Costa | 26/06/2018 - 19h10
IMPOSTO ÚNICO, é a solução. Que seja 5% e cobrada como era a CPMF, mantem o IR para controle por pessoa, de 1% ou 0,01 apenas para monitoramento, um percentual para exportação e importação e SÓ. esses serão todos os impostos a serem impostos para nós, meros BRASILEIROS..Em compensação, TODOS terão, da noite para dia, aumento mínimo de 30% no salário, o patrão não vai botar a mão no bolso para pagar esse aumento, e nem o governo que além de não pagar esse aumento em massa, isso é: PARA TODOS, vai aumentar e muito sua arreação, viabilizando receita e recursos para bancar os investimentos.....
Erasmo Neto | 08/03/2018 - 09h22
Sociedade complexa exige estudos complexos.Cada governo que elegemos cria formulas magicas para conseguir governar.Ex: quantos desonerações foram permitidas a diversos grupos?Quais os grupos com imunidade tributaria?Fazer comparação do Brasil com os Estados Unidos,no minimo é incoerente e revela, a ignorância dos nossos legisladores.Ex: lá estados e municípios possuem constituições próprias e pior cidades santuários que permitem regras diferentes.Regiões com pena de morte outras sem pena de morte.Brasil concebido com base na Doutrina Cristã;Estados Unidos na constituição de Anderson?
RICARD RUYS | 07/03/2018 - 17h42
Com a burocracia de tantos cálculos e tanta legislação que dificultam a nossa tributação entre nossos Estados e Municípios, nossos governantes iriam diminuir suas arrecadações com tantas penalidades , multas com relações a essas legislações que mudam de noite para o dia e pela quantidade de obrigações acessórias que nos penalizam a todo instante. Imposto único já. Sou mais um cidadão que concorda com um único imposto, muita burocracia só atrasa nosso País.