Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

11/01/2018 - 12h05

Temer sanciona com vetos programa de renegociação de dívidas rurais

Alan Santos/Presidência da República
Agropecuária - plantações - agricultura algodão agricultor rural colheita
O governo vetou o aumento do desconto para multas sobre débitos com o Funrural

O presidente Michel Temer sancionou a lei que institui o Programa de Regularização Tributária Rural, que permite a renegociação das dívidas de produtores rurais. A Lei 13.606/18 foi publicada nesta quarta-feira (10) com uma série de vetos.

A nova lei é decorrente do Projeto de Lei da Câmara 9206/17, aprovado no Senado em dezembro de 2017. O projeto, de autoria do deputado Zé Silva (SD-MG), incorpora texto da Medida Provisória 793/17, cuja vigência foi encerrada sem votação.

Após ouvir os Ministérios do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e da Fazenda, Temer vetou 24 dispositivos do texto enviado pelo Congresso Nacional. Entre os vetos está o aumento de 25% para 100% de desconto das multas e encargos sobre os débitos acumulados com o Funrural (Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural).

O presidente argumentou que este e outros vetos se deram porque trechos do projeto estavam em desacordo com o ajuste fiscal proposto pelo governo. “Os dispositivos representam sobrelevação de custo fiscal imputado ao Tesouro Nacional, sem previsão na Lei Orçamentária para recepção do impacto, e indo de encontro ao esforço fiscal empreendido no País”, justificou Temer.

Ainda durante a votação da proposta no Senado, houve divergências acerca do texto, elaborado após perda de vigência de uma medida provisória com o mesmo tema. Segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o governo trabalhou contra a proposta de equilíbrio fiscal. Já a senadora Simone Tebet (PMDB-MS) defendeu o projeto e negou que se estivesse fazendo uma renúncia fiscal.

Íntegra da proposta:

Da Redação - SC
Com informações da Agência Brasil

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

josenildo oliveira | 16/01/2018 - 01h26
Como sugestão ,porque não anistia pequenos e médio produtor rural falecidos , acima de 80 anos que convive com a seca, que já perdeu tudo com estiagem , não plantam nada porque não chove mais no nordeste semí-árido e que já perdeu todo criatório de gado,que já vendeu sua propriedade para sobreviver ; me refiro à região do sisal,que convivo com ex agricultores que já migraram para as cidades em busca de melhores dias ,pedindo cesta básica em órgãos público e residencias filhos se prostituindo e envolvidos em drogas,quando o custo da manutenção destas operações e inclusive com advogados caros