Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

13/12/2017 - 11h17

Rodrigo Maia diz que reforma da Previdência só será pautada quando houver votos

“Acho que 330 [parlamentares favoráveis] é um bom número para ir a voto, para ter uma margem de segurança, mas pode ter certeza de que, quando eu der uma data, a reforma será aprovada”, disse o presidente da Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, reafirmou nesta quarta-feira (13) que a proposta de reforma da Previdência (PEC 287/16) só será pautada em Plenário quando contar com os votos para a aprovação – são necessários pelo menos 308,  em dois turnos.

Segundo Maia, o relator da comissão especial que analisou a proposta, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), vai ler o texto em Plenário amanhã e, caso não seja confirmada a votação para a próxima semana, a discussão será retomada em fevereiro.

“Acho que 330 [parlamentares favoráveis] é um bom número para ir a voto, para ter uma margem de segurança, mas pode ter certeza de que, quando eu der uma data, a reforma será aprovada”, disse o presidente da Câmara.

Saiba mais sobre a tramitação de PECs

Íntegra da proposta:

Reportagem - Luiz Gustavo Xavier
Edição - Ralph Machado

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Cícero | 14/12/2017 - 10h49
Caros Marco e Jorge, essas questões de vcs são respondidas no link que eu citei. Sds.
Marco | 13/12/2017 - 23h56
Meu caro Cícero!! Como uma reforma que manterá as pessoas trabalhando por mais tempo pode ajudar a diminuir a taxa de desemprego? Porque será que o mercado está tão ansioso pela aprovação deste .miserável projeto? Porque sobrará dinheiro para investimento em saúde, educação, etc ou porque só está mais dinheiro para pagar juros aos especuladores nacionais e internacionais? E será que os bancos ficarão chateados de vender planos de previdência privada? Você acha mesmo que essa reforma vai beneficiar os mais pobres?
André de Jesus Sarmanho dos Santos Freire | 13/12/2017 - 20h07
Antes de reformar a Previdência, o Governo deve reformar toda a sua equipe e acabar com todos os DAS e deixar e Administração Pública nas mãos do servidores honestos de carreira, pois os servidores públicos não são bandidos e nem ricos como esse Governo que colocar para a população. Em 32 anos de "DEMOCRACIA" os servidores públicos estão quase todos passando por dificuldades financeiras e endividados por conta das políticas de empobrecimento levadas a cabo a partir da Reforma Administrativa. Um País sério deve tratar muito bem os servidores públicos, para que eles mantenham toda a estrutura.