Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

02/04/2014 - 13h30

EPE nega que desconto nas tarifas tenha provocado crise no setor energético

Parlamentares que participam de debate na Comissão de Minas e Energia sobre a crise no abastecimento questionaram a gestão promovida pelo governo no setor.

O deputado Felipe Bournier (PMDB-RJ) reclamou da carência de investimentos em fontes de energia limpa (renovável e não-poluente), como energia eólica e solar. Já o Fernando Jordão (PMDB-RJ) questionou que o governo destine R$ 15 bilhões para socorrer empresas do setor ao invés de destinar essas verbas para o desenvolvimento de fontes alternativas de energia. A falta de preocupação dos consumidores em poupar energia também foi alvo de críticas.

Tarifas
O vice-presidente da comissão, Ronaldo Benedet (PMDB-MG) questionou se o corte nas tarifas de energia promovido pelo Executivo no ano passado não piorou a situação do setor ao invés de beneficiar os consumidores.

Já o deputado Welinton Prado (PT-MG) se disse preocupado com a expectativa da Cemig de reajustar as tarifas de energia de Minas Gerais em 30%. “O consumidor mineiro paga muito caro pela energia, a carga sobre esses serviços é pesada e não me parece justo que isso recaia agora sobre a população”, criticou.

Prado questionou também a sugestão de que parte do problema do setor foi agravado pelo desconto nas tarifas.

A audiência pública da Comissão de Minas e Energia sobre a crise no abastecimento de luz prossegue no plenário 14.