Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

05/11/2018 - 18h50

Câmara homenageia o Movimento Negro Unificado

Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Homenagem aos Quarenta Anos do Movimento Negro Unificado - MNU
Homenagem foi feita em sessão solene no Plenário da Câmara

Em homenagem aos 40 anos do Movimento Negro Unificado (MNU), comemorado no último dia 7 de julho, a Câmara dos Deputados realizou nesta segunda-feira (5) sessão solene requerida pelo deputado Vicentinho (PT-SP).

Em mensagem enviada ao Plenário, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou que o trabalho do MNU criou uma trincheira de resistência contra barreiras culturais, que, segundo ele, são as mais difíceis de vencer. “A luta do movimento teve sempre por fulcro a valorização da cultura negra, entendendo que um dos meios de combate haveria de ser a disseminação da história do negro e sua participação na construção nacional”, disse.

De acordo com Maia, para além da importância cultural, é preciso compreender a negritude como uma etnia relevante para a multirracialidade no Brasil. Ele avalia que a sociedade brasileira ainda está distante do ideal de resgate da miscigenação, e considera que é importante que o cidadão, "independentemente do grupo racial a que pertença, comece a ter mais consciência a respeito do que deve ao outro".

A coordenadora nacional do Movimento Negro Unificado, Ieda Leal, fez algumas reivindicações do MNU em seu discurso, entre elas o respeito à ancestralidade do povo negro, frear a mortalidade dos jovens e das mulheres negras e maior participação na vida política. “Não haverá fraternidade se não estivermos incluídos na vida social no País. Nós precisamos estar presentes na comunicação, na educação, nós precisamos de saúde e segurança pública de verdade“, declarou.

Ieda ainda ressaltou que o MNU completa 40 anos com o objetivo maior de continuar a luta de trazer visibilidade ao povo negro. “Hoje a gente vive em um país prejudicado pela falta de democracia. Então, vamos continuar a luta, vamos continuar nas trincheiras, vamos mostrar que os negros organizados darão conta de responder a essa violência racial”, finalizou.

Deputados Negros
O deputado Vicentinho destacou que, entre os 513 deputados e deputadas da Câmara Federal na atual legislatura, apenas 21 são negros. “No caso de São Paulo, somos somente três: eu, Orlando Silva [PCdoB] e Vicente Candido [PT]. Na próxima legislatura, seremos apenas eu e Orlando Silva, porque Vicente não foi candidato”, contou.

“O povo negro forma apenas 4,5% da Câmara. Isso demonstra que o voto precisa ser muito mais consciente”, declarou.

Movimento Negro Unificado
O Movimento Negro Unificado foi fundado em 18 junho de 1978 e lançado publicamente no dia 7 de julho daquele mesmo ano. O ato representou um marco histórico na luta contra a discriminação racial no País. Uma das bandeiras de luta do MNU tem sido valorizar o negro e a negra e chamar a atenção para a contribuição do povo negro na construção do Brasil.

Segundo Ieda Leal, após esses 40 anos, o Movimento Negro Unificado continua se reorganizando e hoje alcança mais de 20 estados brasileiros.

Reportagem – Larissa Galli
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Heldomiro Machado de Carvalho | 06/11/2018 - 07h44
O quê a Dona Ieda Leal diria se houvesse um Movimento Branco Unificado? Fica a pergunta para todos aqueles que querem provocar divisão no seio da sociedade brasileira, construída na miscigenação e nas diferenças culturais! Qualquer movimento que tenha por objetivo discriminar e separar não contribui para uma convivência pacífica e respeitosa.