Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

13/06/2018 - 16h47

Câmara entrega prêmio Zilda Arns a instituições de destaque na defesa de pessoas idosas

Primeira edição do prêmio aconteceu em sessão solene realizada nesta quarta-feira (13)

A Câmara dos Deputados promoveu, nesta quarta-feira (13), sessão solene para fazer a entrega do primeiro prêmio Zilda Arns para instituições que se destacaram em ações de defesa das pessoas idosas. O evento faz parte das diversas propostas para celebrar 2018 como Ano de Valorização e Defesa dos Direitos Humanos da Pessoa Idosa.

Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Entrega do Prêmio Zilda Arns
Esta foi a primeira edição do prêmio Zilda Arns

Os homenageados deste ano foram a Pastoral da Pessoa Idosa (PR), o Lar dos Velhinhos de Piracicaba (SP), o Instituto Juvino Barreto (RN), a Conferência Vicentina de Lages (SC) e a promotora Ana Trotta Yaryd (SP).

Em discurso lido no Plenário, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), lembrou do dever constitucional que o Estado, a sociedade e a família têm em relação aos idosos.

“A Constituição Federal define que a família, a sociedade e o Estado devem assegurar a participação dos idosos na comunidade, defendendo sua dignidade e bem-estar e garantindo-lhes o direito à vida. Essas são obrigações inabaláveis em uma sociedade democrática”.

Maia destacou também o fenômeno de envelhecimento populacional que o Brasil testemunha hoje.

“Em pouco mais de três décadas, os idosos já corresponderão a quase um terço da população brasileira – uma transformação para a qual o Estado e os cidadãos precisam estar preparados”, salientou. “É certo que realizamos esta premiação com intuito de homenagear os agraciados, mas temos também o desejo de aprender os seus exemplos e de tomá-los como modelo e inspiração”, completou.

A deputada Leandre (PV-PR), requerente da sessão e autora da iniciativa do prêmio, também falou sobre o assunto. “Saber que o envelhecimento ocupará, no próximo século, um lugar central junto à nossa sociedade nos impõe novos horizontes, em especial do poder público, como estratégias que garantam proteção aos mais frágeis e oportunidades para que os idosos Independentes continuem atuante na sociedade”, disse.

Ouça esta matéria na Rádio Câmara

Segundo Leandre, o objetivo da criação do prêmio Zilda Arns era para que a Câmara dos Deputados divulgasse e reconhecesse as ações em prol da qualidade de vida da população idosa. “Quando apresentei a proposta de criação do prêmio Zilda Arns, meu objetivo era de que a Câmara dos Deputados valorizasse e reconhecesse o trabalho de organizações e pessoas que dedicam seus esforços para garantir que homens e mulheres possam desfrutar de uma vida digna quando envelhecem”.

Violência
De acordo com a deputada Leandre, apenas em 2017, o Disque 100 recebeu mais de 30 mil denúncias de violações cometidas contra as pessoas idosas no Brasil. “Nas denúncias, vemos a negligência, a violência psicológica, o abuso financeiro e econômico como as mais incidentes sobre a população idosa”, destacou. Ainda segundo a deputada, 76% dos casos a violência acontece dentro da própria casa da vítima.

Zilda Arns
Zilda Neumann Arns foi uma médica pediatra e sanitarista brasileira. Ela fundou a Pastoral da Criança e a Pastoral da Pessoa Idosa.

“Decidi nomear esse prêmio em referência a Zilda Arns não apenas por ela ter crescido no meu estado Paraná, mas por ter sido a idealizadora da Pastoral da Pessoa Idosa, uma organização com enorme capilaridade pelo país que envolve o trabalho de mais de 25 mil voluntários no acompanhamento domiciliar de mais de 145 mil pessoas idosas em situação de vulnerabilidade em nosso país”, justificou a deputada Leandre.

Ano de Defesa da Pessoa Idosa
Parlamentares, em conjunto com autoridades e sociedade civil, lançaram 2018 como Ano de Valorização e Defesa dos Direitos Humanos da Pessoa Idosa. A ideia surgiu do projeto de lei 9357/17, da deputada Leandre, aprovado pelos deputados e que aguarda votação no Senado.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Larissa Galli
Edição – Ana Chalub

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'