Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

13/11/2017 - 18h04

Comissão aprova iniciativa para combater violência contra a mulher em bares e casas de show

A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 7414/17, do deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB), que obriga bares e casas de show a manter empregado especialmente treinado para acompanhar mulheres que se sintam ameaçadas à delegacia ou posto policial mais próximos. 

Antônio Augusto/Câmara dos Deputados
Audiência pública para a definição de critérios objetivos com vistas à reformulação da Lei nº 11.597, de 2007, que
Diego Garcia, relator do projeto

Ainda pelo texto, as mulheres que identificarem qualquer risco a sua segurança devem solicitar a funcionário do estabelecimento que a acompanhe até o carro, ônibus ou metrô.

O autor se baseou em casos de mulheres que sofreram abuso sexual durante os chamados encontros “às cegas” marcados pela internet. Segundo o deputado, a presença de pessoal especializado para dar apoio à mulher, em locais de entretenimento, pode ajudar a coibir o crime.

O relator da proposta na comissão, deputado Diego Garcia (PHS-PR), incluiu no projeto original a obrigatoriedade de locais de entretenimento terem banheiros de uso individual ou separados por sexo.

A medida é válida para todos os locais de entretenimento que reúnam grande número de pessoas como restaurantes, bares, boates e casas de show.

Tramitação
A proposta será analisada de forma conclusiva pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços e Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

Reportagem - Emanuelle Brasil
Edição - Geórgia Moraes

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'



Comentários

Sandro Luciano | 16/11/2017 - 23h03
Os senhores deputados querem inviabilizar a economia? Querem impor mais despesas? Querem fazer média com as mulheres, atropelando o artigo da constituição que diz que somos todos iguais? Até onde vai esse feminismo estatal? Os senhores são uma vergonha.