Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

13/04/2010 - 15h31

Deputados ressaltam legado de Chico Xavier em sessão solene

Luiz Alves
Temer: "Ninguém conseguiu difundir a espiritualidade como Chico Xavier".

A humildade, a caridade e os ensinamentos de Chico Xavier foram lembrados por parlamentares em sessão solene nesta terça-feira, no plenário Ulysses Guimarães, em homenagem ao centenário do líder espírita. Proposta pelos deputados Paulo Piau (PMDB-MG) e Vitor Penido (DEM-MG), a sessão foi acompanhada pelo filho adotivo do médium, Eurípedes Higino dos Reis.

Nascido em 2 de abril de 1910 em São Leopoldo (MG), Chico Xavier faleceu em 2002, aos 92 anos, vítima de parada cardíaca. O presidente da Câmara, Michel Temer, destacou o legado do médium mineiro. “Ele não desprezou as demais religiões. Cristãos, evangélicos, islamitas: todos têm foco na espiritualidade, mas creio que ninguém conseguiu difundir essa ideia da espiritualidade como Chico Xavier”, afirmou.

Paulo Piau lembrou que o médium chegou a ser indicado para o Prêmio Nobel da Paz e foi escolhido, em pesquisa realizada em Minas Gerais, como o mineiro do século XX. “Chico atendia quem o procurava buscando conforto, compreensão. Mostrava a importância do equilíbrio entre o material, que nos dá sustentação à vida, e o espiritual, que nos coloca em contato com Deus”, disse.

O deputado Vitor Penido contou parte da história do médium, que perdeu a mãe aos cinco anos e foi maltratado pela madrinha na infância. Hoje, é conhecido como o principal representante do espiritismo no País, com 451 livros psicografados.

“Chico não passou pela Terra inutilmente. Nos deixou grandes exemplos, que serão lembrados por muitas e muitas gerações”, afirmou Penido. “Ele está acima de questões religiosas, pois pautou sua vida no compromisso com o próximo, no amor cristão e na solidariedade.”

Reportagem – Rachel Librelon
Edição – Daniella Cronemberger

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'